ShareThis

Feliz Natal e um 2011 Repleto de Alegrias





Erasure re-release “A Little Respect” to benefit Hetrick-Martin Institute

Não Vimos mas Gostariamos de ter Visto



Sim Eu Vi!

Sim o amigo que vos escreve esta ali com a coroa em Buenos Aires 2009 na Tour Of The Universe, video feito e publicado no Facebook por Daniela Pozo.

DJ Andy - Tour 2011


Andy Fletcher estará novamente tocando como DJ em 2011 e começaram a sair as datas de sua Tour 2011 para Oriente/Oceânia e datas na Europa a tour fará parte promoção ao lançamento do novo álbum de Remixes.

29/01/2011 - Ark Club, Bucharest, Roménia
05/02/2011 - Crystal Hall, Kiev, Ucrânia

06/02/2011 - Palladium, Odessa, Ucrânia

16/02/2011 - City Hotel, Sydney, Australia

18/02/2011 - Playground Weekender, Sydney, Australia

20/02/2011 - Syrup, Hobart, Tasmania

24/02/2011 - Republiq, Manila, Filipinas
25/02/2011 - Kudeta, Singapura

26/02/2011 - X2, Jakarta, Indonesia

04/03/2011 - Star Live / DJ Mag Tour, Beijing, China

05/03/2011 - Eden, Seoul, Coreia do Sul

19/03/2011 - Belzik Festival, Herve, Belgica


Em 2007 Andy passou com sua tour pelo Brasil, e consedeu a entrevista abaixo:


Video Martin L Gore Holiday Sound Check


Video publicado no Facebook de Martin Gore.

Side-Line Music Awards 2010


A revista on-line Side-Line, abriu as votações para o seu Music Awards 2010, e o Depeche Mode esta concorrendo em 2 categorias, de melhor banda e melhor banda ao vivo, pela Tour of the Universe, ainda temos a Mute concorrendo a melhor selo e o Recoil com melhor album, o seu Selected.

Fotos Martin DJ - Ontem a Noite

Martin tocou ontem a noite em uma festa benificiente, as fotos foram publicadas em seu Facebook:





















Vendas do Tour of the Universe - Live in Barcelona


O Depeche Mode, com certeza tem os mais devotos fãs da musica, as vendas do DVD Tour of the Universe Live in Barcelona, vai muito bem:

Alemanha - Nº1

Suiça - Nº1

Portugal - Nº2

Bélgica - Nº2

Itália - Nº3
Reino Unido - Nº2

Espanha - Nº4

Rep.Checa - Nº6

França - Nº7

Suécia - Nº6

Holanda - Nº8

Disco Ouro na Alemanha


O último DVD ao vivo do Depeche Mode "Tour of the Universe - Live in Barcelona" cerca de 20 dias após seu lançamento, esta com mais de 25.000 unidades vendidas já alcançou o status de ouro na categoria de vídeos de música.

Fonte: Depeche Mode.de

Duran Duran Mixa Personal Jesus

Duran Duran declarou via twitter que fizeram uma versão para Personal Jesus, que deve estar presente no cd de remixes que sairá em 2011, por enquanto a lista de talentos a mixar o Depeche Mode é de luxo:

Eric Prydz (canção a confirmar)
Vince Clarke (Behind The Wheel)
Alex Metric (Duran Duran) (Personal Jesus)
Miike Snow (canção a confirmar)
Alan Wilder (In Chains)
Yeah Yeah Yeahs (canção a confirmar)
Arcade Fire (canção a confirmar)
Miike Snow (canção a confirmar)

DJ em Festa Benificiente

Martin foi convidado para tocar como DJ em uma festa benifiente.

Animated Albuns


O site Animated Albuns que cria animações usando capas de albuns clássicos de inumeros cantores e bandas:



Colaboração: DJ Silmara

Volta ao Estudio

Parece que não é só Martin que não esta com vontade de tirar férias, em entrevista no site Home, Fletcher afirma em entrevista que em alguns meses, a banda estará de volta ao estúdio!





Colaboração: Pablitomode
Fonte: Home

Venha Participar

Novos Wallpapers


Estão disponiveis no site oficial do Depeche Mode, novos wallpapers da Tour of the Universe.

Recoil – Ao Vivo No Inferno Club


Bom amigos, antes de começarmos um esclarecimento, aos leitores que não tem tanto contato comigo, como podem notar não posto coisas sobre o Recoil, peço desculpas sinceras aos fãs, mas um dos motivos é que eu não curto o som do Recoil, e peço desculpas novamente aos fãs leitores deste blog, o outro motivo vou deixar como particular por que é uma discução interminavel....

Mas como Alan tem seu lugar em nossa história, segue abaixo o texto do amigo e colaborador Jeanbong13 Campagner:

Recoil – Ao Vivo No Inferno Club – São Paulo em 10 de novembro de 2010.
Um dia especial, um passo a passo ao lado de um importante (ex) integrante do Depeche Mode.
Antes de escrever qualquer coisa, um agradecimento : “Muito Obrigado Especial” aos amigos :

Aguinaldo C. Silva, Alexandre Macedo, Dirlena Meghetti, Eduardo Macedo, Marcel Nogueira, Marcelo Pastel, Vânia Psique, Taccy Mikulski, Ly Harata e Luis Henrique.

Se não fosse a união dessa turma toda, não teríamos o Recoil por aqui.

Então aqui fica meu “eterno muito obrigado” e que bom, ter vocês como amigos...
Vou aqui, descrever alguns detalhes – sobre a vinda do Alan para São Paulo.
Para os que não sabem, tudo começou, com um vídeo feito aqui em minha casa, numa das reuniões de fans, em que : Ly, Taccy, Marcel e Jadir, fizeram um pedido para que o Alan trouxesse a “selected events” para o Brasil.
Ele assistiu o vídeo, e respondeu, indicando possibilidade...

A partir daí, prá resumir : essas pessoas citadas, não pararam de trabalhar em prol disso, e CONSEGUIRAM trazer o Recoil.
Sei que tiveram muita dor de cabeça, muitas noites sem dormir, nervosismo, mas acredito que tudo nessa vida é válido, com certeza, deve ter sido uma experiência única, afinal, ninguém sabia direito, como fazer “a coisa funcionar”... e acreditem : na minha modesta opinião : deu tudo certo !!!


Ah, bom lembrar que o Cristian Johann, do Inferno Club, também foi muito importante nisso tudo. Valeu pelo apoio e por acreditar no projeto.

Vamos ao que eu sei : Na terça feira (09/10) – rolou um jantar no restaurante Casuale, na Rua Dr. Fonseca Brasil, no Morumbi, com o pessoal do Staff, e acho que não poderia ter havido recompensa maior que essa. Era praticamente um encontro muito a vontade entre contratado e contratantes...
Na quarta feira, aconteceu uma tarde de autógrafos na galeria do Rock, na loja Ferro Velho, do Rodrigo – DJ do Inferno Club.
Cheguei por lá, beirando umas 14:20 hs, e já tinha um bom número de fans, autografando, fotografando, etc...
Consegui entrar rapidamente prá autografar alguns materiais, e entreguei em mãos, meu presente pra eles : duas canecas do Recoil, com o símbolo da DM Brasil, página que participo.
Trocamos algumas frases, ele viu os dois modelos de camisetas que eu fiz, e adorou a camiseta com o visual “Faith Healer”, elogiou inclusive, mas sabia que não poderia ficar atrasando, mais do que já havia feito, então saí de lá, e no cantinho da galeria, encontrei Paul Kendall, e pedi mais alguns autógrafos e fotos.
A sessão de autógrafos, teve que ser parada pouco tempo depois, segundo os seguranças da galeria, não poderia ter uma concentração de pessoas ali, (pelo que entendi : normas da galeria), então, numa mudança de plano, o Luis me puxou pelo braço, e lá estava eu, dentro da van, com Alan e o pessoal do Staff, a procura de um bom lugar prá almoçar.
Nesse momento, Alan e Paul abriram meus presentes, viram as canecas e agradeceram... (confesso que nem sabia o que dizer, ou o que fazer, devido as coisas estarem acontecendo muito rapidamente...)

A escolha final foi no típico restaurante italiano Lellis Trattoria, na Rua Bela Cintra, Jardins, lugar muito conhecido e repleto de fotos de famosos que por ali passam – inclusive foi tirada também uma foto do Alan...


Depois disso, o pessoal do Alan, foi pro Hotel, e nós nos dividimos em alguns que ficaram no Inferno Club prá ajudar, e outros ainda correndo atrás dos últimos detalhes para o show, que aconteceria horas depois.
Lembro da Taccy e da Vânia, ainda arrumando o camarim, tiramos algumas fotos por ali, antes do Alan chegar lógico... rs... (isso foi por volta das 18:15 hs).
Um lance interessante aconteceu comigo : por volta das 18:25 hs chegou para fazer uma entrevista com o Alan, ninguém menos que o Fábio Massari, de quem sou grande fan, desde seus programas “Lado B”, “Mondo Massari” na MTV... (se em São Paulo, ele seja uma pessoa comum, prá mim, era como se tivesse realmente conhecendo um artista, pois sempre gostei muito de suas resenhas e indicações.)
Massari também estava esperando o Alan chegar, e é uma grande pessoa, e o mais bacana : simples de tudo !

O Alan, chegou por volta de 18:40 hs, passou o som, com a faixa “Prey”, testou caixas, telões, corrigiu alguns erros, etc... e foi pro camarim, fazer a entrevista com o Fábio.
Depois disso, ele voltou, fez novamente outros testes, e verificou como estava o “Stand Oficiail de Itens do Recoil” (onde você comprava o novo cd, nas edições simples ou dupla, camisetas de diversas estampas, e o tour book da tourné, tudo oficial e num preço bem acessível)

Alan, definitivamente, só voltei a vê-lo quando começaria o show...

Antes disso, tivemos um “Dj Opening” com o “Scorpios From Mars” (ou se preferirem : Ly Harata & Marcelo Pastel) detonando no Electro.

O set list do que foi tocado :

01 - Digitalism - Jupiter Room (Martian Assault Mix)
02 - Cut Copy - Hearts Of Fire (Joakim Remix)
03 - Digitalism - Saw You In 2 Pieces
04 - Simian Mobile Disco - Hustler (Kitsune Mix)
05 - Kurd Maverick - Blue Monday (Vandalism Remix)
06 - The Chemical Brothers - Hey Boy, Hey Girl (Soulwax Remix)
07 - Madonna - Into The Groove - (Daft Punk White Label Mix)
08 - Royksopp - The Girl And The Robot (Jean Elan Remix)
09 - MGMT - Kids (Soulwax Nite Version)
10 - Deadmau5 Feat. Melleefresh - Hey Baby (Original Mix)
11 - Daft Punk - Technologic (Vitalic Remix)
12 - Supermode - Tell Me Why (Axwell & Steve Angello Remix)



O Recoil, entrou no palco, beirando umas 23 hs... a partir daí, e baseado em cima do álbum “selected”, Alan Wilder & Paul Kendall, tocaram entre outras :

Intro
Prey
Want
Drifting (usando as imagens do clipe de Want)
Hallelujah
Never Let Me Down Again
In Your Room (a lâmpada do clip e da capa do single, apareceu diversas vezes no telão....)
Warm Leatherette
Stalker
Faith Healer (nessa música, aparece no telão o Douglas McCarthy do Nitzer Ebb, fazendo seu poderoso vocal, excelente idéia...)
Shunt

(Bis:)

Walking In My Shoes (algumas imagens bem parecidas com as projeções usadas em 93 e 94)
Jezebel
Personal Jesus (algumas sombras de pessoas, em formato de cruz, bem legal, mesmo).

Um detalhe : essas são as faixas que consegui lembrar, além dessas, acredito que faltaram ainda, mais umas 2 ou 3 que não lembro o nome, ou não lembro a ordem correta, mas, no geral, foram essas as músicas e quase na seqüência correta, ok ??? (Desculpem a falta de memória, mas tava aproveitando o show... ninguém é de ferro... rs...)

O visual do show, é uma coisa indescritível, as músicas se encaixam perfeitamente as imagens, como se tudo fosse um “grande vídeo megamix”.
Dava prá perceber a alegria do Alan, com a receptividade do público, ao entrar e sair de cena, cumprimentou alguns fans que estavam beirando o palco.

Na volta do bis, a surpresa ficou por duas músicas do Depeche Mode, que não foram executadas na primeira parte da tourné.
Na música “Personal Jesus”, Alan puxou o público com a frase “Reach Out And Touch Faith” – inesquecível, belíssimo final de apresentação.

Após o show, entraram os Dj’s Marcio Vaez (Pop & Wave), que tocou muito Depeche Mode, e também o Rodrigo Cyber (Projeto Ferro Velho), sei que em meio as músicas, tive o prazer de ouvir Red Flag – “If I Ever” – música que AMO. Enquanto rolavam essas apresentações dos Dj’s, o carismático e simples Alan Wilder, ficou atrás de uma mesa, atendendo, autografando, fotografando, e vendendo materiais do Recoil. (O Alexandre Macedo ficou ajudando e muito a vender o material)

Nessa hora, o pessoal do RJ, entregou uma camiseta da Seleção com o nome dele nas costas, e também uma bandeira do Brasil, com assinaturas do pessoal que estava na tarde autógrafos e também no show... (curiosamente, numa dessas fotos em que Alan está olhando a bandeira, dá prá ver o meu escrito “Recoil 4 Ever – JeanBong – DM Brasil” – bem perto dos olhos dele...)

Simples, do jeito que descrevi : chegava lá, comprasse material ou não, (muita gente trouxe material de casa prá autografar, assim como eu fiz, mas lógico, não resisti, e comprei também o tour-book e a versão dupla do cd ... rs...), era só pedir que o Alan atendia, com uma tranqüilidade e com cara de satisfação, de encontrar muitos Devotos, numa noite de quarta feira...
Quem não foi, infelizmente garanto : perdeu, além de uma ótima apresentação, ter o prazer de estar “lado a lado”, com um dos grandes integrantes do Depeche Mode.

Uma tarde e uma noite inesquecível em minha vida, em meus 27 anos de devoção ao DM.
Em tempo : algumas fotos foram tiradas por Andressa Castro e Luis Henrique. Obrigado por ajudarem a ilustrar essa matéria e parte da minha vida com seus belos cliques...

Abraços e Beijos a todos que prestigiaram, contribuíram, divulgaram o evento. Sem vocês, nada disso teria acontecido.



Texto: Jeanbong13 Campagner

Férias Para Que?

Conforme post anterior Martin Gore realmente esta afim de trabalho, depois de colaborar com Bomb the Bass, e estar trabalhando com Vince e de recentemente ter tocado como DJ em uma apresentação do Recoil, ele esta a colaborar também com o Projeto Motor do mestre Gary Numan, um dos gênios precursores da musica eletrônica!

Você já viu?


Bom amigos, meu DVD na versão Deluxe claro, ainda esta em tramites para chegar as minhas mãos, quem mando nascer no Brasil..rsrsrs
Enquanto isso estou aqui ancioso para ve-los, então se você já viu deixa ai um comentário com as suas impressões, vai manda ver no comentário...

Remixes


Conforme posts anteriores, em 2011 teremos um album de remixes do Depeche Mode, foram divulgados alguns nomes e faixas que farão parte do album, inclusive o nome de Bernard Summer que me agradou muito, pois sou um fã de seu trabalho na época do New Order e do Eletronic esse ultimo em parceria com NeilTennat (Pet Shop Boys) e Johnny Marr (Smiths):

Confirmados:

Alan Wilder (In Chains)
Alex Metric (Personal Jesus)
Arcade Fire (música a confirmar)
Bernard Sumner (música a confirmar)
Brandon Flowers (música a confirmar)
Mark Ronson (música a confirmar)
Yeah Yeah Yeahs! (música a confirmar)
Vince Clarke (Behind The Wheel)

Crédito: DM Portugual

Para Aquecer - Live in Barcelona


Fonte: DM Devotion

CD Remixes 2011


Mr. Alan Wilder tambem irá fazer um remix de uma faixa do Depeche Mode para no novo cd de remixes que será lançado em 2011 alem do Alan, Vince Clark já declarou em seu twitter que remixará a faixa Behind the Wheel, especulações dizem que aos dois ainda se somará, The Yeah Yeah Yeahs, Brandon Flowers (vocalista dos The Killers) e os Arcade Fire... Turma de peso mixando para o Depeche Mode.

Esta Saindo do Forno

Comunicado


Amigos Devotees,

Ficarei ausente de postagens no blog, não o abandonei, peço desculpas a todos os leitores, estarei no Japão viajando a trabalho e por estar focado nesta viagem ficarei sem fazer posts do dia 27/10 a 05/11.

Até a volta caros devotees!

"
Reach out and touch faith..."

Devotee Não Tem Idade

Colaboração: Clasa

DVD Teaser - NLMDA

Live in Barcelona - Espetacular

O DVD Live in Barcelona da Tour of the Universe será realmente espetacular, agora é ssó esperar pelo lançamento dia 8/11 e a julgar pelos videos abaixo, preparem-se:

Fotos Devotees & Festa Ases Indomávies Especial Depeche Mode

Ases Indomávies Especial Depeche Mode

Em breve posto as fotos!

Faz um Ano!

Amigos,

Enquanto faço o upload das fotos desses que foram sem duvida alguma os melhores momentos da minha vida até agora, eu vou tentar comentar estes dias de maneira objetiva se é que isto é possível.

Saímos de POA no dia 14 de outubro no meio da tarde, com a expectativa de chegar a Buenos Aires, mas como nosso vôo tinha conexão em Montevidéu chegamos já no anoitecer a Buenos Aires, de cara a cidade estava parada devido ao jogo decisivo da seleção argentina decidindo a sua classificação para o mundial e sabe até estava torcendo por eles, existem em minha opinião cinco seleções clássicas que tem que estar em uma copa sempre, e a Argentina é uma delas, as outras, Brasil, Alemanha, Itália e Inglaterra...

Pegamos um taxi para o Hostel na Florida 328, no centro de BA, o chegar ao Hostel que ficaríamos hospedados, tivemos uma grata surpresa encontramos outros devotos que já estavam lá da comunidade Depeche Mode no Orkut, o que deixou nossa estadia mais agradável enquanto esperávamos pelos amigos mais próximos, e até alguns seguidores desde blog que eu só conhecia por nome...
Hostel bem legal, limpo organizado pelo menos conosco nenhuma reclamação pessoal simpático e prestativo no atendimento, logo fomos dormir cedo e descansar, pois antes dos shows queríamos nos preparar para passear pela cidade conhecê-la.
Pela manhã fomos tomar café no bar no subsolo do Hostel onde era servido o café da manhã com vários tipos de sucos, pão, sucrilios, poutz nem sei quanto tempo não comia isso, e iorgute, tudo incluso na hospedagem o que era ainda melhor... E fomos direto ao primeiro compromissio, pegar os ingressos no ponto de vendas da Ticketek a algumas quadras de onde estávamos hospedados, só assim me sentiria tranqüilo para conhecer a cidade, e com mapa em mãos saímos de la felizes com os passaportes para a felicidade.


E fomos fazer tour, de cara tive três impressões muito positivas sobre BA:
• Povo educadíssimo, em todos os momentos fomos muito bem tratados, pessoas sempre falando muito bem do Brasil e dos brasileiros. Teve um senhor que parou para nos ajudar enquanto olhávamos o mapa sem pedir-mos, ele percebeu que estávamos perdidos e ofereceu ajuda.
• Cidade limpa com muito verde e muitos parques muito bem utilizados pela população. E ninguém atravessa fora da faixa de segurança e lembrei que temos muito que evoluir em POA..
• CDs e DVDs muito baratos, comprei alguns e o maximo que paguei foi 18 reais cerca de 36 pesos, cheguei a comprar o DVD Live in Milan da ultima Tour do Depeche Mode, triplo, com 2 DVDs e 1 CD por 22 reais cerca de 44 pesos, uma bagatela, entre outros. Da vontade de encher as malas só com isso.... Alguns....


Em nosso primeiro dia fomos em alguns pontos turísticos com a Praça San Martin e suas redondezas com vários monumentos, e prédios, Museu Nacional de Armas, Loja Musimondo ponto clássico de vendas de CDs e DVDs em BA, que já na entrada trazia um banner enorme de divulgação do álbum Sounds of the Universe, aproveitei para comprar alguns CDs... Andamos muito e batemos muitas fotos nem lembro direito onde estivemos certo, mas garanto que curti cada segundo daquela cidade....

Andamos pelo centro, fomos ao Obelisco, e almoçamos e tomamos Quilmes de litro, muito saborosa, e no meio da tarde voltamos para o albergue para esperar a Fabi e o Jairo, também eu tinha que responder e-mails do meu trabalho, à noite por volta das 23hrs chegou o amigo Jairo que trouxe na mala, mais dois amigos, Luis e Fabio, ambas as pessoas espetaculares, simples, e gente fina pacas, parceiros mesmo, bom amigos do Jairo não dava para esperar menos.


Saímos para jantar todos comemos pizza e tomamos muito chopp, voltamos para o Hostel de madrugada e quase não dormimos de tanto que rimos do Fabio roncando, um verdadeiro Boeing em aceleração de decolagem.... rsrsrsrrs

No outro dia pela manhã nos dividimos Jairo, Luis e Fabio foram retirar os ingressos deles e comprar ingressos para o ACDC, nos fomos com Fabi para os aredorres da Casa Rosada, e combinamos em nos encontrar para almoçarmos juntos no Hard Rock Café, passeamos nos arredores da Casa Rosada, e nos dirigimos ao Hard Rock Café onde comprei uma camiseta bem legal em sua loja, infelizmente não eles não tinham o relógio que eu queria comprar, e pior o local estava fechado naquele dia meio dia para um evento particular, ao sair de lá pensando onde iríamos almoçar encontramos Jairo, Luis e Fabio que vinham chegando conforme combinado, logo entramos em um restaurante ali na frente almoçamos e tomamos algumas Heineken de litro, bem mais suave que a servida aqui no Brasil.

Depois à tarde somos no Cemitério Recoleta que fica ao lado do Hard Rock Café e no Jardim Japonês, saindo de lá passamos em um mercadinho de vila para fazermos algumas compras básicas aproveitei e coloquei algumas Quilmes na mala para trazer para o Brasil o preço era irresistível...


Logo fomos o Hostel para nos prepararmos para o primeiro show do Pet Shop Boys, conversamos com a galera brasileira que estava por lá, muitas pessoas legais que foi um prazer conhecer a todos entre eles Jean e Marcelo P@stel, dois amigos e colaboradores de longa data desde da época que eu tinha uma pagina do DM, bem antes do blog, la se vão 7, 8 anos e que eu não conhecia pessoalmente.

Pegamos um taxi até o Club Ciudad de Buenos Aires, alias como é barato o taxi em BA, nossa, muito mesmo, chegamos no club cerca de 40 minutos antes do show, a entrada foi tranqüila e nos posicionamos a cerca de 70m do palco, o PSB é uma banda que sempre tem mega produção nos shows com performance de dançarinos e palco com efeitos legais, logo não foi difícil para a dupla transformar a Club Ciudad em uma grande danceteria fazendo os 25mil expectadores dançarem muito ao som das faixas do novo cd Yes e clássicos como West and Girls, Always on in my Mind e It’s a Sin essa ultima a gente sentia o chão balançar com a galera pulando enlouquecidamente, PSB é a banda, gosto muito do som feito por eles, ponto alto foi o
Neil Tennant vestido de rei cantando Viva la Vida do Coldplay, seria uma alusão ao que estávamos por ver??


Nem tive tempo de poder apreciar mais o evento, pois ao terminar o show o evento também se encerrou e fomos jantar no Hard Rock Café já que meio dia estava fechado.

Que lugar muito legal, legal não DU CARALHO, o Hard Rock para quem é apreciador de musica, um museu e não um bar! Um lugar lindo com inúmeros quadros autografados, fotos, roupas e tudo mais relacionados musica discos de ouro, prata, platina de inúmeros artistas e muito material, fora que foi onde melhor comi em BA, local é ponto certo e obrigatório para qualquer um que vá a BA. Deveria ser baixada uma lei na ONU que todas as capitais do mundo deveriam ter um Hard Rock Café, me senti emocionado perto de tanta coisa que pertenceu a diversos ícones da musica...



Sem contar que estamos jantando e ouvindo boa musica nas telas como trilha sonora:


Saímos de lá e fomos direto para o Hostel descansar o outro dia prometia ser longo e estávamos a poucas horas do inacreditável....
Acordamos cedo e antes do café da manha já estávamos nos dirigindo para a fila do que seria a passagem para a felicidade:



Chegamos na fila cerca de 8hrs da manha e já tinha 110 pessoas na nossa frente os primeiros estavam la desde das 9hrs da noite anterior... Devoção pouca é bobagem...

Na fila tivemos a oportunidade de conhecer devotos de muitos lugares e países, de leitores do blog a devotos de todos os tipos e origens, muita gente, quis bater fotos com nos, éramos brasileiros facilmente identificados e a coroa que levei fez um sucesso tremendo muita gente pedia para bater foto comigo ou com a coroa, muito legal eu já estava quase me sentido uma celebridade... rsrsrsrsrs


Cerca do meio dia a fila foi reorganizada em lotes, nos dando um cagaço foi ela começo a se movimentar e estávamos almoçando a correria foi grande.... E daí em diante a contagem regressiva para a abertura dos portões que se deu por volta das 15h30min, logo o primeiro esforço uma corrida até o palco, que deixou muita gente inclusive eu sem ar, por ser longe e por estar calor...
Mas o objetivo foi alcançado ficamos na segunda fila na frente do avançado do palco cerca de 3m... E a cerca de 20m do palco atrás da área VIP...


Começaram os shows das bandas argentinas e o sol muito forte não da trégua, ficamos ali sentados esperando o grande momento, conversando e conhecendo muita gente, ali junto de nós estava duas meninas russas que estava assistindo esta tour do DM pela sétima vez se não me engano:


Antes que lotar tive a oportunidade de ir rapidinho comprar algumas lembranças na lojinha da banda:


A noite começou cair e logo estávamos no DJ set de Martin Gore a poucos minutos da realização de um sonho, até apareci no telão com a coroa aluvisa ao clip de Enjoy the Silence, falei que tava famoso...rsrsrsrs
Quando apareceu uma projeção com as letras DM, a galera já estava em êxtase gritando Depeche Mode, Depeche Mode, Depeche Mode...



Em minutos, sim me pareceu minutos diante da ansiedade, veio a sirene que indicava o show iria começar essa sirene era a introdução da primeira faixa In Chains, as luzes se apagaram e comecei a sentir uma sensação de, será que é verdade, logo a banda começou a entrar não conseguia tirar os olhos do Martin que para mim é um cara muito importante por tudo o que escreve, por me identificar muito com suas letras fiquei ali olhando para ele e pensando esse é o cara, esse é o poeta... Só percebi a presença de Dave quando a sua voz linda e marcante entrou em ação...


Ali neste momento percebi que sim, eu estava diante de algo esperado há 19 anos, estava diante dos caras que criaram o que para mim é chamado de musica, caras que criaram letras e sons que descrevem meus sentimentos, minhas angustias, meus medos e vitórias, a trilha sonora da minha vida da minha pessoa da minha personalidade...
Quando voltei a mim, já estava sentindo uma pressão no peito vindo do grave que os PAs emitiam em Wrong...

Então pensei agora é verdade, a voz de Dave cada vez que falava “Wrong...” me soava como... Não sei explicar era.... ... ... Inexplicável...
Hole to Feed não consigo nem lembrar que tocaram ela, pois acho que eu estava em transe, não me lembro dela...
Quando começou os primeiros acordes de Walking in my Shoes, passei minha câmera para gravação e pensei se excitar essa eu tenho que gravar, a gravação não ficou muito boa nem as fotos por causa do empurra, empurra e da maldita avalanche que os hermanos faziam...
Mas lembro que me emocionei muito com ela.... Um musica linda que é muito expressiva para mim...
Daí em diante me preocupei em curtir o show e cada vez menos em regista-lo...
It’s no Good todos cantaram junto... A Question of Time como era de esperar fez todas das 40 mil pessoas presentes pularem em um único e sincronizado salto, achei que ia morrer esmagado, mas feliz...
Precious todos cantaram mas você olhava para as pessoas e elas pareciam em transe pareciam meditando sobre tudo o q estava sendo cantado, sobre as coisas preciosas de nossa vida que temos que tomar cuidado, e sobre a preciosidade daquela noite...


Fly on the Windscreen e Jezebel passei em branco, inda estava absorvendo Precious, mas lembro de ver o Martin vir tocar guitarra no avançado do palco, inacreditalvel neste momento queria pular dali e dar-lhe um abraço, ajoelharme aos seus pés:


Ai veio uma das minhas preferidas da banda... Home... Com Martin no vocal foi impossível de conter as lagrinhas, chorei sim, igual criança me emocionei foi o ápice de sentimentos para mim, uma musica que me traz diversas recordações boas e ruins, uma avalanche de sentimentos enquanto com toda a minha força eu cantava:
“And I thank you
For bringing me here
For showing me home
For singing these tears
Finally I've found
That I belong here…”


E seguiu o show, lembro que gravei também I Feel You a pegada mais rock da banda e Policy of Truth também me recordar muita coisa de minha adolescência, das festas, das pessoas que conhecia nessa época... Com a dupla Enjoy the Silence e Never Let me Down Again, o publico enlouqueceu, quase cantando mais alto que o som que vinha dos PAs... Eram 80 mil mãos para cima balançada na regência de Dave... Foi muito difícil até de respirar neste momentos tamanho o agito da galera...



E para fechar depois de Somebody vi muita gente chorando, e Stripped cada fez que a ouço me parece mais linda, veio Behind the Wheel e Personal Jesus que fechou o show com o chão tremendo de tanto a galera pular e gritar: Reach out and touch Faith...
Desculpe amigos se não escrevi muito sobre o show, deixei de falar em algumas faixas, por que é difícil de descrever esse tipo de sentimento e de emoção, por mais que se escreva, é algo que não se descreve se sente... Com certeza os melhores dias de toda a minha vida até aqui, eu já quero voltar a Buenos Aires!!!
Já estou em depressão e quero mais...




Amigos,

O Jean, no meu lado na foto acima, alias ambos detonados depois do show, é um grande colaborador deste blog e um dos maiores fãs do DM que eu conheço a muitos anos, e que tive prazer de conhecer pessoalmente, segue comentários dele sobre o show em Buenos Aires:

Depeche mode – ao vivo no club ciudad buenos aires 17 – 10 – 2009

Em primeiro lugar, gostaria de citar e agradecer as pessoas que foram fundamentais para que essa viagem, fosse realmente perfeita :

José b. Salomão, Marcelo Pastel, Emerson Paiva, Andréa Leite, Luis Fernando & Denise, Eduardo & Alexandre Macedo, Luis Henrique e Dênis.

Todos os outros fans que encontramos no hotel, ou durante a viagem, foram importantes, mas os acima citados, têm muita importância, sejam pelas dicas, informações ou apoio.

Chegamos no club, beirando umas 14 horas, e já fomos nos acomodar beirando ao braço de extensão do palco, do lado direito prá quem fica na frente. Pegamos um lugar bom, não era na grade, mas diria que depois de uma pessoa, no máximo duas, estaríamos “na grade”...

O público foi chegando, começando a lotar, e lá pelas 17:30 hs entraram as bandas de abertura, lembro o nome de algumas : “bicicletas”, “violador 6”, “banda de turistas”...

Aquele problema de sempre : shows grandes não deveriam ter bandas de abertura, pois normalmente o público não quer esperar prá ver “os donos da festa”.... (se ainda fosse, somente uma banda, mas prá meu desespero, além das programadas, ainda foi incluída – uma última – que pelo jeito deveria ser a “banda do momento” da argentina, pois o foi a única, em que o público cantou, pulou e começou a fazer um “empurra – empurra” deles....

Sobre isso, tenho a dizer que o público argentino, é quente, se diverte muito, mas infelizmente não tem, respeito entre eles mesmos, pois essa brincadeira do empurra empurra, foi feita inclusive, em quase todo os lugares do show do depeche mode, e sinceramente, não tem a menor graça.... Não entendi até agora, como eles podem se divertir num show, tentando provocar confusão, o tempo todo....

Bandas de abertura a parte, apagaram-se as luzes, e na famoso “círculo 3d” (que prá nós, foi um “círculo virtual, mas que dava praticamente o mesmo efeito), começou a aparecer as iniciais dm....

O público começou a entrar em delírio.... O show começou quase no horário previsto (por volta de 21:45 hs, eu acho), e aos barulhos da sirene/alarme, é iniciado o “start” do show, com a excelente “in chains”.... (adoro essa música e acho que ela é realmente a melhor faixa para a apresentação inicial dessa tour...), o telão ficou branco, aparecem as sombras do pessoal entrando no palco, êxtase total do pessoal ao ver a banda e o agradecimento do Dave, que por sinal, está de cavanhaque – tipo “sedutor latino” e o Martin com seus dedilhados, que ficam na nossa memória...

Os argentinos gritam “olé, olé, olé, depê, depê.... (achei estranho, depois me acostumei.....). Seguido pelo grande hit do album “wrong”, com direito a efeitos de luzes e telão, é um dos grandes momentos das músicas novas ao vivo... Aqui, o “empurra empurra” foi ficando insuportável, pois além de ficar fazendo isso o tempo todo, ainda seguiam-se cotoveladas, etc... Nem os próprios argentinos, estavam contentes com a situação que estava acontecendo na multidão. (público estimado em 45 mil pessoas).

Mesmo assim, resolvi ficar e ver “hole to feed” , apesar da música ser boa, não achei que o público se empolgou tanto. No telão imagens da banda “em cascata”, “repetidas”. Uma coisa me chamou muito a atenção, acho que devido ao tratamento que o Dave tem se submetido, achei-o meio “magro”, e também “se poupando” prá poder aguentar o show todo, afinal, ser o frontman da banda, tem seus prós e contras. Na metade dessa música, desisti de ficar na frente do palco, e fui para trás, prá ver se saia do empurra empurra, pois eu queria ver o show até o fim, e se tivesse ficado ali, com certeza iria passar mal, devido ao calor e as dores dessa brincadeira. Chegando mais prá trás, encontrei com a Denise (esposa do Luis do blog), e lá ficamos comtemplando o show, com uma visão um pouco mais distante, porém, mais ampla, no quesito de pegar detalhes do palco, como um todo.

“Walking in my Shoes”, é um dos pontos altos do show, o telão, o lance do olho virtual, o corvo.... Enfim, uma das músicas que mais gosto, numa apresentação incrível, Dave & Martin, estão fazendo uma tourné, onde parece que o entrosamento dos dois, está ao máximo... Walking in my Shoes, é linda, adoro essa letra, e com certeza a apresentação da banda....

“It’s no Good”, é excelente, funciona ao vivo, dave começa com suas tradicionais danças, jogos de luz, e imagens da banda no telão, tudo maravilhoso....

“A Question of Time”, uma das músicas mais antigas, e das que mais gosto, perfomance clássica do dave, com direito a rodopios, “mão na mala”, e microfones prá platéia, é o delírio dos dois lados.... (todo mundo já deve ter reparado que “Question of Time” é uma das preferidas do Dave, pois ele se dedica ao máximo nessa hora....).

“Precious”, mesclando o lance de ir ao passado, e voltar ao presente, tem forte aceitação do público, ligado ao telão com as imagens da máquina de escrever, outro ponto forte com o público...

“Fly on the Windscreen” – outra das antigas, e uma das músicas que mais gosto do dm, começa com 6 circulos no telão, dividos em 3, os debaixo, ficam sempre numa cor, e os 3 acima, ficam com imagems da banda ao vivo no palco, Dave como sempre esbanjando a sensualidade.... E começo a reparar que o Martin, tem melhorado e muito a performance, estando mais comunicativo e participativo com o público nos shows.... Andy, prá váriar, até parece mais animado do que o habitual, mas o visual “Elton John” faz com que eu, quase nem preste atenção nele.... Já Christian Eigner toca muito, e Peter Gordeno, eu diria que está se encaixando e melhorando ao dm, aos poucos....

Martin, mais simpático do que nunca, vem com sua linda voz, nos presentear com “Jezebel”, imagens no telão, que parecem ser o lado normal, e do outro lado, a imagem em negativo, martin, canta e encanta, seus dedilhados e solos nos convidam a dançar com ele... E no final, ele vem a parte extendida do palco, e nos cumprimenta com uma agachada ali mesmo, onde rendeu fotos belissimas, prá quem estava por ali.... Eu diria que foi um dos momentos inesquecíveis do show....

Mais surpresas estavam por vir... : numa inversão de set list (normalmente seria “A Question of Lust”), Martin e Peter Gordeno, mandam uma versão prá lá de intimista de “Home”, com direito a aquelas esticadas vocais, tradicionais de Gore....... Delírio, simplesmente linda.... No telão, praticamente o Martin, o tempo todo..... Não me recuperando dessa surpresa...

Outra inversão : No lugar da tradicional e linda “Come Back”, eles atacam com “Miles Away” – fiquei surpreso, usando praticamente o mesmo vídeo de “Come Back”, com algumas alterações... Gosto muito dos vocais finais em “Miles Away” quando ambos ficam revezando a frase.

Outra Troca : Em vez de “Peace” (que eu gosto muito), em seu lugar, entrou “Policy of Truth”, no telão bolas coloridas, vão caindo, e Dave sempre fazendo suas dancinhas. Saudosismos a parte, já estava ficando assustado com as trocas no set list a partir do meio do show....

“In Your Room”, outra das minhas prediletas, nem preciso dizer que a essa altura do show, eu já estava completamente “Your Favourite Slave”....

Sequência final de hits, antes do bis : “I Feel You”, com imagens digitalizadas da banda no telão, “Enjoy the Silence” um dos hits mais esperados do público, cantado do começo ao fim, com aquele telão da banda vestida de astronautas, levou o público ao delírio, sem dúvida nenhuma, “A Música” que muitos esperavam....

E fechando com chave de ouro “Never let me Down Again”.... Com a famosa coreografia dos braços, que o dave tanto ama (e o público responde muito bem), em erguer os braços e “flying high”..... No telão a banda, o público, enfim, tudo !!! Fim, do set list básico, mas ainda viriam agradáveis surpresas no bis....

A volta de Martin ao palco com Peter Gordeno, já indicava, outra mudança de planos : tocaram “Somebody”, nem preciso dizer a emoção que senti, muitos sabem que essa, é uma das músicas favoritas, e que definitivamente, não estava nos set lists da tourné.... Acredito que muita gente se emocionou com a versão e ficaram eternamente gratos com a surpresa que nos proporcionaram... O público em geral, cantou e adorou essa surpresa.

“Stripped” é perfeita, o público já estava em extase, no telão imagens da banda, e muitas luzes, divididas em várias partes....

Outra novidade : a volta de “Behind the Wheel” (Peter Gordeno melhorou o arranjo, graças a deus, pois em tourné anterior, estava muito estranha..... Agora, ficando mais próxima das originais), no telão imagens da banda, quadriculadas entre azul claro, azul escuro.

Finalizando o show, “Personal Jesus”, no telão a banda em suas tradicionais poses de crucifixo, e muitas mulheres, detalhes de cinturas, costas, cabelos, etc.... O público cantou e dançou o tempo todo, Dave apresenta a banda, que se abraça, e saem do palco. Fim do show.

Eu e a Denise, ainda ficamos esperando um pouco, pensando que eles voltariam realmente para encerrar com “Waiting for the Night” (tradicional encerramento dos shows, até então...). Quando vimos que o povo começou a sair, resolvemos ir procurar o “Rei Luis”. (estava o máximo com a coroa, tanto que, antes do show, foi filmado e colocado sua imagem no telão !!!)

Em relação ao set list básico, com as “trocas e surpresas”, infelizmente, a banda acabou excluindo 2 músicas do set list tradicional (em geral tocam 22, e na argentina, tocaram apenas 20).

Gostei demais da apresentação, o ponto negativo, (nem tão negativo assim, eu diria....) Foi o final “mais rocker”, e “menos denso” que era provocado, com a apresentação de “Waiting for the Night” (queria realmente que o show terminasse mais lento...).

Ea exclusão total do “telão utilizado” em “strangelove”, normalmente a banda usa o mesmo telão, e tocam outra música, quando há inversão. Nesse caso, acho que devido as fortes imagens desse vídeo (as duas meninas, em cenas de lesbianismo), acabaram sendo totalmente excluídas e não aproveitadas em nenhuma das outras músicas. Uma pena.

Tirando o comportamento de empurra empurra do público argentino, eu diria que o show, foi excelente. Mais uma noite prá entrar na história da minha vida. Uma das melhores noites de minha vida....

(e ainda tive um bônus, quando encontramos com Martin Gore no aeroporto... Isso realmente fechou com chave de ouro a viagem.....) E digo : não importa onde estivesse, na grade, mais distante, longe ou não, o que vale realmente, é ter o Depeche no coração.

Sentir a emoção de estar lá, ao vivo, no show.... Isso não há descrição que faça as outras pessoas entenderem o que é essa sensação.

Só quem foi ao show, sabe o que quero dizer : Depeche Mode é uma celebração do espírito, da alma.

vida longa ao Depeche Mode !!!



Hoje amigos tive a honra de participar do programa Boys Don't Cry da rádio Pop Rock, 107.1FM de Porto Alegre, comentando e tocando algumas musicas do Show do Depeche Mode em Buenos Aires há uma semana, programa com foco nos 80`s que acompanho desde 2002, e que tive o privilégio de participar hoje tentando resumir em algumas palavras o sonho de ver o Depeche Mode.



Fotos by Fabi: Clique Aqui!


Hoje dando uma lida no blog de Fabio Codevilla, blog o que acompanho a anos, observando suas fotos do Show do Depeche Mode em Buenos Aires, adivinhem quem eu achei em uma das fotos?
Sim o blogueiro devoto que os escreve, bem li com a coroa!



Fotos da Viagem:
http://picasaweb.google.com.br/luisfernando.dm/BuenosAires
http://picasaweb.google.com.br/luisfernando.dm/BuenosAires02

Fotos do Show do Pet Shop Boys:
http://picasaweb.google.com.br/luisfernando.dm/ShowPetShopBoys

Fotos do Show do Depeche Mode:
http://picasaweb.google.com.br/luisfernando.dm/ShowDepecheModeTourOfTheUniverse

Donwload deste texto:
http://www.4shared.com/file/142328687/bb9bc1b8/Amigos.html

Textos: Luis Fernando.DM & Jean
Videos: Luis Fernando.DM & Fabio
Foto: Denise & Fabi