ShareThis

[Off Topic]: Moby em Porto Alegre

Moby é o sujeito que surpreendeu quem esperava uma festa de música eletrônica tradicional na noite de terça-feira no Pepsi On Stage, em Porto Alegre. Trouxe banda completa – formada, com exceção do baterista, por belas instrumentistas e vocalistas – para ajudá-lo a reconstruir as canções que o tornaram uma das figuras mais populares e bem-sucedidas dentro do meio musical.

Mas, sobre o palco, Moby não é mais do que um agregador. Durante a hora e meia que dura o espetáculo, ele se veste e se comporta como qualquer outro integrante do grupo, empunhando uma guitarra preta e dividindo o microfone com sua vocalista principal, a potente e carismática Joy Aleita Grant – que, não raro e merecidamente, ganha todos os holofotes.

Claro que Moby é o cérebro por trás da costura de rock, funk, soul, blues e sintetizadores que o colocou no centro da revolução eletrônica no início dos anos 1990 e, mais tarde, como um dos grandes provedores de trilhas para propaganda do mundo. Por isso sabe como alinhar seu repertório e adaptá-lo ao gosto do público.

Se o clima esfriou com as tristes Pale Horses e Porcelain, transformando o lugar num imenso lounge de restaurante japonês, é hora de jogar as mãos para o alto e chacoalhar quadris com Flower e We Are All Made of Stars – esta, finalizada com um riff de Purple Haze, de Jimi Hendrix.

Sim, Moby é o branco de alma negra, que reverencia o delta do Mississippi em Why Does My Heart Feel So Bad? e Honey e larga a guitarra para tocar percussão em Natural Blues e Raining Again, não sem antes chamar o coro das coloured girls em Walk On The Wild Side, cover de Lou Reed que foi recebida como se o próprio estivesse ali.

Corta para voltar a outra de suas raízes na devastadora Lift Me Up, que poderia muito bem estar num disco do New Order em 1985. Ou a charmosa e sexy Disco Lies, que ganhou camada extra de sintezadores transformando o galpão de aço da Zona Norte numa badalada boate nova-iorquina nos anos 1970.

Ao final, emulou Jimmy Page e chamou outra de suas backing vocals para uma versão de Whole Lotta Love, do Led Zeppelin. Tocou correndo de um lado ao outro do palco, ajoelhado, esfregando a guitarra no pedestal do microfone, dando a impressão de que, ao final, esmagaria o instrumento contra o chão e atiraria-se na plateia.

Mas não o fez. Assim como a maioria ali presente – seguramente na faixa dos 30 anos em diante –, Moby já não tem mais idade para esse tipo de fanfarronice adolescente. Ele é o maestro que conduz seus músicos com segurança e o público, com carisma e competência. E está feliz assim.


Basic - Wrong

A banda dos sobrinho de Martin Gore, fazendo um cover de Wrong do Depeche Mode:

Fonte: DM Devotion

Tanghetto em POA

Eu que sou um admirador de tango eletrônico, e cito o tanghetto e o Bajofondo como referências certas deste estilo, não perderei este show por nada, um dos motivos é este:

“O grupo mais sedutor do eletrotango” (L. A. Times)

“Tanghetto é, sem sombra de dúvida, a trilha sonora da Buenos Aires de hoje” (New York Times)

Um dos maiores nomes do tango eletrônico vêm pela primeira vez a Porto Alegre, última parada de sua tournée brasileira, que passará por Aracaju, Recife, Belo Horizonte, Brasília, Juiz de Fora, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre e que marca o lançamento de seu novo disco Alla del Sur.

Formado em 2001, por Max Masri e Diego Velásquez, o grupo faz show no dia 02 de maio, às 20 horas, no Teatro CIEE.

O nome “Tanghetto” (formado pelas palavras “tango” e “ghetto” em espanhol) recorda as “pequeñas argentinas”, comunidades de argentinos exilados no exterior, especialmente por motivos políticos e econômicos.

Em meados dos anos 90, Max Masri (um dos últimos discípulos do Maestro Virgilio Expósito) voltou a Buenos Aires, depois de viver na Alemanha experiências interessantes entre estes argentinos emigrados. Graças também a seu contato com a cena eletrônica alemã, trouxe uma idéia: criar uma nova linguagem musical que que sintetizaria o tango com sonoridades contemporâneas da eletrônica.

Ao final de 1998, Max Masri (sintetizadores e programações) começou a trabalhar com Diego S. Velázquez (guitarra) e neste momento começou experimentações em estúdio com as primeiras faixas de tango eletrônico. Em 2001, o projeto se tornou a prioridade do duo e começaram o processo de gravação do disco, com composições 100% próprias e um bom nome para o projeto: Tanghetto.

A formação se completa com Federico Vázquez (bandoneón), Antonio Boyadjian (piano), Chao Xu (violoncelo e um instrumento chinês de cordas, chamado erhu) e Daniel Corrado (batería).

História recente:

Em dezembro de 2004, se editou “Emigrante (electrotango)”. O álbum alcançou o disco de platina e durante muitos meses dominou as lojas de discos na Argentina. Em julho de 2004, foi indicado ao Grammy latino, na categoría “Melhor Álbum Instrumental”.

Em dezembro de 2004, alguns membros do grupo, liderados por Max e Diego, editaram um projeto paralelo chamado “Hybrid Tango”, no qual a fusão vai mais além, incorporando elementos de world music, jazz e ritmos como flamenco, candombe, etc. Hoje, “Hybrid Tango” é parte do repertório ao vivo do grupo. Este álbum foi indicado também ao Grammy Latino em 2005, na categoría “Melhor Álbum de Tango”).

Entre março e setembro de 2005, Tanghetto se dedicou, junto a alguns DJs, a remixar várias canções. Junto a dois covers (”Enjoy the Silence” do Depeche Mode e “Blue Monday” do New Order), este material foi editado com o nome “Buenos Aires Remixed”. O tema “Blue Monday” (que foi incluído na trlha sonora do filme “La Mujer de mi Hermano”) se converteu en um hit alternativo nas rádios dos EUA e se manteve durante várias semanas.

A partir de 2004, Tanghetto intensificou suas atividades ao vivo, assim como sofisticou seu show, incorporando performances de vídeo e dança. Alguns dos shows mais importantes desde então são o II & IV Campeonato Mundial de Tango, o VII Festival Buenos Aires Tango (tocando para 4.000 pessoas), o Festival de la Avenida Corrientes (no Obelisco, para 15.000 pessoas), muitas apresentações para um Teatro ND Ateneo lotado, o show de abertura dos Jogos Sulamericanos (para 9.000 pessoas e televisionado para toda América do Sul).

2005 foi o ano dos primeiros concertos internacionais. O grupo tocou, entre novembro e dezembro, em diversas cidades da Italia e França. Em 2006, o grupo prosseguiu seus concertos no exterior (EUA, Itália, Reino Unido, Alemanha, Chile, Uruguai, Paraguai, etc).

2007 iniciou em janeiro e incluiu vários shows na Alemanha (Berlim, Hamburgo, Düsseldorf, Wiesbaden, Bonn, etc), Itália (Roma, Torino, Napoli, etc), a participação nos festivais Tangocamp (Suécia e Itália), shows nos Estados Unidos (Chicago Symphony Hall e Grant Park – Chicago, Ford Amphitheatre – Los Angeles), Reino Unido (um concerto na Islington Academy de Londres e a gravação de um unplugged para a BBC) e uma grande gira de 19 concertos por todo México, em outubro, incluíndo Mexico DF e o Festival Internacional Cervantino (Guanajuato), onde se apresentaram para um público estimado de 10.000 pessoas. O Cervantino é, seguramente, o festival mais importante de toda América e um dos cinco maiores do mundo.

Após “Emigrante”, o novo disco de estudio se chamou “El Miedo a la Libertad”, como o livro de Erich Fromm. O disco incluia 9 canções originais e três covers e contou com a participação do guitarrista Esteban Morgado e do violinista Quique Condomí.

A gira 2008/2009, chamada “El Tour de la Libertad”, incluiu Buenos Aires, Paris, Londres, Roma, Berlim, Frankfurt, Torino, Istanbul, Munique, Viena, Palermo, Thessaloniki, Amsterdam, Rotterdam, Groningen, Den Haag, Verona, Salerno, Bonn, Leipzig, Schwerin, Karlsruhe, Montevideo, Guayaquil, Quito e Bogotá.

Em outubro de 2009, o TANGHETTO foi uma das principais atrações da Feira de Agricultura Familiar, promovida pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, na Marina da Glória, no Rio de Janeiro.

A banda, dizem, é mais querida em Buenos Aires que seus colegas mais famosos do Gotan Project. Em entrevista por telefone, um dos idealizadores do grupo, Max Masri, afirma que, apesar das duas bandas terem começado na mesma época, pelo menos no início não houve uma articulação, uma "cena" musical. "Morei um tempo na Alemanha e quando voltei montei a banda e passei a fazer experiências com tango e música eletrônica. Foi uma surpresa quando vi que outros grupos estavam fazendo algo semelhante", conta. Com turnês na Europa e nos Estados Unidos, o Tanguetto já lançou seis discos, sendo o último deles Mas allá del sur. "Fazemos uma música atual, contemporânea. Gardel, para nós, é uma influência direta, assim como New Order, Depeche Mode e bandas que usam sintetizadores. Estamos sempre experimentando novos sons no estúdio", explica Max. Há cinco anos o resultado dessa fusão de ritmos ficou clara no álbum Buenos Aires remixed, que traz versões de Blue monday e Enjoy the silence, em versão de tango eletrônico.

Como muitos artistas da Argentina, o Tanguetto também usa suas músicas para falar de política. O primeiro álbum, batizado de Emigrante, mostra um país que passou de nação de imigrantes para exportadora de mão de obra. Em 2005, no auge da crise que levou a Argentina ao fundo do poço, o Hybrid tango, projeto paralelo dos rapazes do Tanguetto, lançou um controverso videoclipe para a música Tangocrisis, com imagens de protestos e desespero nas ruas de Buenos Aires.

Nos shows ao vivo, o discurso politizado fica em segundo plano. Para a apresentação do Recife, Max conta que o grupo vai fazer um passeio por músicas de várias fases da banda, se concentrando no último álbum. Tocar no Recife ainda vai servir para o Tanguetto ter contato com a música local, igualmente politizada e diversificada. "Nos inspiramos em tudo que ouvimos. Estamos curiosos para conhecer a música daí", diz Max.

Antes desta sua tournée brasileira, o grupo realiza mais uma gira pela Europa, apresentando-se na França, Alemanha, Itália e Suíça e em maio realiza nova tournée nos EUA.

Ingressos:
R$ 80,00
Desconto de 10% para titular do Clube do Assinante Zero Hora

Vendas na Loja Bellenzier Pneus (Av. Dom Pedro II, 1168, esquina Av. Cristóvão Colombo), de segunda à sexta, das 12 às 18 horas e sábados, das 09 às 12 horas.

Telentrega: 3231.4142 (de segunda à sexta, das 09 às 12 e das 14 às 19 horas). Taxa de R$ 15,00 por entrega. Entregas somente em Porto Alegre.

Data: 02/05/2010
Horário: 20:00
Local: Teatro CIEE
Endereço: Rua Dom Pedro II, 861 – Porto Alegre
Ingresso Masc: R$ 80,00
Ingresso Feminino: Idem ao Masculino

Report on their concert in Buenos Aires

Martin Gore - Surrender

Depeche Mode – MTV World Stage

Sua chance de ver os maiores artistas do mundo, sem sair do conforto do seu sofá. Esta semana é Depeche Mode. Sintonize MTV ROCKS as 11pm na sexta-feira 23 de abril para assistir o show completo ...

Toda semana estaremos apresentando shows que foram filmados em todo o mundo, de Tóquio a Londres, os maiores concertos no pop, rock e hip hop.

É a sua chance de ver os mais quentes shows onde quer que você esteja no mundo cortesia do seu canal de música favorito - MTV.

Não perca.

Fonte: JeanBong13

Boa Noticia!


Olá Amigos...
É com muita satisfação e orgulho, que escrevo pra informar que a página :
http://www.depechemode.com.br . Está de volta...
Peço que o pessoal confira o novo visual, vejam os artigos que estão sendo colocados e republicados aos poucos... E, se possível, verifiquem – quem já tinha o cadastro na página – se está tudo certinho, pois alguns cadastros infelizmente se perderam, no meio da “reconfiguração da página”... Os que ainda não tem cadastro, por favor, peço que façam, visitem, deixem recados, opiniões, etc... A página foi toda reformulada pra nós. E agora, depois de um tempo de “turbulência”, tudo voltará ao seu normal... Aproveitem e de ato, confiram a matéria sobre o show do HOTU e a Pop & Wave DM...

Abraços.
JeanBong13

Pop & Wave – Especial Depeche Mode – Show : HOTU


Dia 10 de abril, foi um “Dia DM” : além do Especial na Pop & Wave do Inferno Club, tivemos o show do HOTU, e antes disso, pra quem conseguiu participar, rolou um churrasco DM Party, com a recepção do amigo Luis Henrique...
Infelizmente, não tive como participar do Churrasco... problemas de logística.... rs....

O evento noturno :
Começou com um certo atraso, pois o local só abriu depois da Meia Noite.
Na entrada foi recepcionado pelo Cristian, que justificou o atraso, e foi muito simpático com o público, etc...

O Inferno Club, não sei quanto é a lotação máxima, mas com certeza devia estar lotado...
O especial DM dentro da Pop & Wave, promovido pelos Dj´s Marcio Vaez, Renato Synth, Alessandra Garanci e Rodrigo Cyber – que rolaram o melhor dos 80’s, uma das melhores décadas da minha vida... (Information Society – Madonna – Erasure - Front ...)
Lembro que tocaram : People Are People, Strangelove, Behind The Wheel, Fragile Tension, Route 66, entre outras.


Ao escutar e curtir “Route 66” (versão remix), me senti dentro do filme 101... excelente... (exatamente a cena da boate... foi um revival bem bacana).
Devotees cantando as músicas quando executadas no meio de uma boa seleção musical...
As 3 da madrugada, é o começo do show do HOTU…

Aqui, preciso explicar um lance : conhecia a banda, através das demos que o Luciano divulgou, e sempre que ouvia, pensava : “os caras devem ser bons ao vivo… pois no estúdio já criam em cima do original, com certeza ao vivo, devem ser bacana…”

O Show deles foi um dos motivos que me fizeram sair daqui da minha cidade (moro no interior, cerca de 2:10 hs de SP), somados ao especial do dM…
O Luciano, é daqueles que “adoram surpreender”… então, ele cria sempre algo diferente, dentro dos arranjos básicos, o que torna as versões do HOTU, somente deles….
(Algo como o que o Martin Lee Gore, faz em seus álbuns solos), porém o HOTU não se distancia muito do Depeche…).


Na introdução, uma versão para “Newborn”… é emendada com “Wrong”… na minha modesta opinião, um dos pontos altos do show, a “Newborn/Wrong”… fez o pessoal pensar duas vezes numa intro… e se extasiar aos escutar o início de “Wrong”…
Segue-se “Halo” – umas das músicas que gosto muito… e funciona muito bem ao vivo.
Se por um lado temos o “Frontman” Luciano “Aranho” Cardoso – fazendo as vocais do Dave e Martin. De outro, vemos o “introspectivo” Jadir Lee – fazendo os solos de guitarra e performances intimistas do Martin Lee Gore. (só faltou realmente o Jadir interpretar uma música sozinho… e não ficar apenas nos Backings…).

Aliás, tive o prazer de conhecer pessoalmente, amigos então, somente virtuais : Jadir Lee e Luciano... (e também rever o pessoal que já conhecia e que participava da festa).
O show ainda reservava várias surpresas : “Leave In Silence” / “But Not Tonight” (que tiveram problemas no sequencer), mas, como eu disse prá várias pessoas : até nos shows do DM esse problema acontece.... então, ficou mais próximo ainda do original !!!
“Never Let Me Down Again” / “Enjoy The Silence” – com as tradicionais participações do público, muito bonito de se ver e ouvir...
“Only When I Lose Myself” (a cappella) / “Somebody” ficaram lindas…
Fecharam com “Blasphemous Rumours” / “The Bottom Line” (acústica e apenas um trechinho…), perfeito.


Quase uma hora de show, que eu achei muito bom mesmo.
A propósito o HOTU é formado por :
Aranho Cardoso - Vocal, Backing e Programação
Jadir Lee - Guitarra e Backigs
Wagner Galesco: Programação Base e Backing Tape
Quem tiver a oportunidade de ir vê-los, não perca a oportunidade : é emoção e diversão garantida.

Uma visão diferente e ao mesmo tempo próxima do Depeche Mode.
Fiquei aproximadamente até umas 5 horas da manhã, onde ainda ouvia mais 80’s, e já pertinho da hora de ir embora, estava tocando alguns “Rock’s 80’s Brazuca’s”.
Foi uma noite perfeita : casa, som ambiente e show, excelentes...
Dá próxima vez que te mandarem para o Inferno, pense bem, pode ser uma ótima idéia !
Viva Pop & Wave, Viva Depeche Mode, Viva HOTU. Viva Devotees...


Fonte: Jean Bong

Google Grupos - Depeche Mode Brasil

Fotos Encontro Devotees RS

Fotos Tour of the Universe - Chile - 6 Meses

Fotos: Silvia / Rafael / Tatiana

Tour of the Universe - Argentina - 6 Meses

Encontro de Devotees em Porto Alegre



Depois a festa continua com set especial do DM:


Para detalhes clique na Imagem!

Criatividade é Tudo...rsrsrss

Colaboração: Ricardo Coelho.

Vince Clarke


Vincent John Martin, mais conhecido por Vince Clarke, rapaz na foto ao lado de Martin Gore remete diretamente ao Synth Pop e nas origens dos Depeche Mode. É uma lenda viva incontornável da música eletrônica, na minha opinião um dos maiores se não o maior hitmaker deste estilo, e é inevitavelmente associado a uma coleção de sintetizadores analógicos, iniciada décadas antes do aparecimento do Ebay!
Neste video, o senhor dos Sintetizadores (ex-Depeche Mode, ex-Yazoo, ex-The Assemblye atual Erasure), mostra ao site Motherboard TV o seu pequeno templo ao qual chama de "The Cabin", exibe o seu "Santo Graal" e entre muitas "preciosidades", destacamos a velhinha DR 55, a caixa de ritmos da BOSS que acompanhou o Depeche Mode nos seus primeiros concertos.

Vale muito apena conferir!

DM Party


Com transmissão ao vivo pela internet!
http://www.ustream.tv/channel/pop-wave

Conheça o Palco

Fonte: DM Devotion

Apollo Zero Reconstruct (Depeche Mode vs. Madonna)

Fonte: Sweetest Perfection

Basic?

Está no site oficial do Depeche Mode:

Basic é um duo de electro alternativo de Basildon, Essex, Inglaterra (para quem não lembra cidade onde nasceu o Depeche Mode). A banda foi fundada pelos primos Louis Hyde (vocais) e Dean Oldfield (Chief Songwriter, teclados), em 2005, devido à sua paixão comum pela música. Sua música é influenciada por seu tio (Martin Gore), assim como bandas como New Order, Joy Division e Kraftwerk.

Desde 2005, Dean e Louis de ter escrito muitas canções e eles tem tocado em muitos shows locais, incluindo "Chinnerys" em Southend-on-Sea e também colocou em seu próprio show no Teatro Towngate (Basildon) em 2008.

Nós o incentivamos vocâa a ouvir ao Basic e sua música no MySpace.


Nota do Blogueiro: Ouvi a faixa Civilization e a Something for Nothing, e aos primeiros acordes e vocal me lembrou muito o Camouflage.

Encontro de Devotees em Porto Alegre

Fontes

Um pacote de fontes do Depeche Mode para o seu PC, é só clicar na imagem para baixar!

Pop & Wave - Inferno Club


Colaboração: Déa Parrila

Baby Devotee


Gostaria de deixar aqui com os amigos devotees que visitam o blog o video da minha pequena devotee que deve chegar até 20 de junho deste ano, ela que já esta ouvindo muito Depeche Mode com o papai, e que estava na barriga da mamãe no show do Depeche Mode, outubro passado em Buenos Aires.Abraços a todos do papai devote e feliz!

Enjoy The Silence (Traduzido)