ShareThis

Andy Fletcher - Entrevista em Bucharest



Crédito: forum-dm.ru

Andy Fletcher - Bucharest / DJ Set - 29/01/11



Two Days of MUTE RECORDS no Roundhouse, Londres

Tínhamos datas reservadas no calendário da Mute, lembram ? Achavamos que era algo relacionado a algum lançamento do Depeche Mode...

Porém não é nada disso, a Mute sediará dois dias: 13-14 maio de 2011 - no Roundhouse, de Londres, como parte da programação anual do “Short Circuit Electronic Music Festival”.

Com apresentações e colaborações de artistas da Mute, do passado, presente e futuro com palestras, oficinas, projeções e instalações, a ocasião vai celebrar o trabalho único e influente do selo Mute . Muitos planos estão em andamento, incluindo o envolvimento Recoil, provavelmente na noite de 13 de maio.

Os ingressos foram colocados à venda a partir de sexta-feira 03 de dezembro e fizeram um ticket Premium Limitado, que dará acesso aos dois dias da Mute, entrada para uma festa pós-show exclusiva, bem como objetos especificamente criados da Mute que só vão estar disponíveis com este ticket limitado.

Os bilhetes disponíveis para o The Roundhouse, tem os seguintes preços:

Sexta 13th May - £30 (6 pm-1 am)

Sabado 14th May - £45 (12 pm-12 am)

Sexta & Sabado - £65

Ticket Premium Limitado - £100

Agora, fica o mistério, se o DM vai aparecer ou fazer alguma apresentação nesses dias...

Crédito: Jean Bong

Daniel Miller Fala Sobre o Segredo de seu Sucesso

Daniel Miller Fundador da gravadora independente Mute Records em 1978, e em e Setembro de 2010 novamente independente (foi por 8 anos filial temporária da EMI), receberá no dia 9 Fevereiro 2011 um prêmio pela sua contribuição excepcional para a musica UK Prêmio Lifetime Achievement. Em 14 de Fevereiro de 2011, ele comemorará seu 60º aniversário. Seis dias depois, em 20 de Fevereiro, celebra o primeiro Depeche Mode "Dreaming of Me" há 30 anos, single produzido por Miller e sobre o lema: "O aperto de mão sela o contrato!"

Daniel Miller é uma figura inspiradora. Conversou com Glen Barros, presidente e CEO da indie EUA Concord Music Group, e jornalista Emmanuel Legrand Legrand da Music Week, que pediu seu conselho as gravadoras independentes depois da dramátirca mudança no panorama musical.

Glen Barros recorda os dois lados do negócio da música, do consumidor e do artista. "Temos nos centrado muito no artista por um longo tempo", disse ele. "Não é que não deve incidir sobre o artista, mas você tem que lembrar o outro lado da equação é o consumidor."

Os relacionamentos de longo prazo são importantes.

Daniel Miller concorda com a afirmação de seu colega e diz: "Encontrar pessoas de sua confiança, as pessoas que você gosta e quer trabalhar. Formação de relacionamentos de longo prazo. Porque se você mudar as pessoas a todo momento, você não consegue este tipo de relacionamento importante. "
Miller disse ainda que o negócio da música tem que parar de tentar ditar como as pessoas ouvem música e devem ouvir, de vez enquando os consumidores.
Daniel Miller não pode estar errado, pois o sucesso de bandas como Depeche Mode, Erasure, Goldfrapp, Nick Cave, Moby e muitos mais, tem em parte sua responsabilidade.

"A indústria ditou como as pessoas consomem coisas. Agora o público dita como elas querem consumir coisas ", explicou. "Se você não prestar atenção a isso, você está em apuros."

Tanto Miller e Barros, apesar da situação difícil, são otimistas sobre o futuro da indústria da música. "Enquanto existir pessoas lá fora que fazem boa música e pessoas querem ouvir boa musica."

Esta foi grande aparição de Miller primeira vez em público desde que voltou para a independência, em setembro do ano passado, as perguntas sobre EMI foram inevitáveis. Perguntado se ele estava irritado com a estrutura financeira - como tem sido noticiado - Miller disse que não - "Era algo que eu sabia que eu teria que fazer".

Entretanto, ele expressa seu descontentamento com a burocracia na EMI. "Você tinha que obter a aprovação para fazer quase nada", disse ele, e explicou que isso ia contra a necessidade de flexibilidade.

"Será EMI sobreviver este ano?", Disse. "Sim. Estou certo, ainda haverá uma EMI, mas não tenho idéia de que o contexto vai ser ".

Crédito: Music Week

Remixes em 4 Formatos

Ao que tudo indica o Remixes II do Depeche Mode será lançado em 4 formatos diferentes e seu lançamento será em 28 de Março:

Depeche Mode - Remixes ... (1xCD)
Depeche Mode - Remixes... (2xCD)
Depeche Mode - Remixes ... (3xCD)
Depeche Mode - Remixes... (DeLuxe Box Set 6xLP)

Fonte: Forum-dm.ru

Ghost ( Não Oficial )


Crédito: @Pablitomode

Entrevista com Andy Fletcher

Com poucos dias de sua turnê como DJ em Bucareste, Fletch dá uma entrevista para site romeno Muzica.

Primeiro de tudo, gostaria de saber o que você acha da Roménia, já esteve aqui antes. Você gosta deste país?

Sim, eu realmente gosto. Também tenho amigos romenos, bons amigos, e eu sempre gostei e estará em minhas próximas viagens.

Por que você começou a tocar a música como um DJ? Você prefere os clubes a concertos em estádios tocando com o Depeche Mode?

Bem, o Depeche Mode é tudo grande, você sabe. Nós temos muitas pessoas ao nosso redor sempre. Como DJ eu tenho apenas algumas pessoas que são a equipe, cerca de três ou quatro.

Mas o que sente da diferença de publico, você sente o público dos clubes perto de você?

Naturalmente, os lugares são menores, por isso mesmo uma aproximação física. Mas você sabe, DJ é mais um hobby para mim. Com o Depeche Mode é diferente porque somos tão populares. Mas no início de nossa carreira tocávamos em pequenos clubes, por isso estamos acostumados.

Quando surgiu seu interesse em ser um DJ?

Bem, tudo começou há sete anos quando eu comecei com Cliente DJ, com eles no mesmo palco cada um com tempo livre. Obviamente, na maioria das vezes estava trabalhando com o Depeche Mode. Agora eu tenho um pouco de tempo para desfrutar de ser um DJ.

Que tipo de música que você coloca como DJ?

Eu jogo uma mistura, não apenas um estilo, eu toco alguns Houses, alguns electros, um pouco de rock, e eu espero que o público receba bem este momento. E se não é bem recebido, eu vou toco alguns novos remixes do Depeche Mode, o nosso novo álbum de remixes deve sair em dois meses. Acho que vai ser emocionante para o público.

Você tem alguns DJs favoritos?

Nem por isso. É estranho para mim é um hobby. Eu não acho que seja um DJ incrível, mas eu acho que toco boa música.

E sobre Depeche Mode? Como é que você vê, há alguns bons planos para o futuro com eles? Você disse que têm um álbum de remixes por lançar.

Sim, por enquanto Martin está finalizando o projeto com Vince Clarke, e é uma espécie de álbum de dançante, de minimal e techno. E espero que dentro de alguns meses ele comece a escrever e vamos tentar fazer um novo disco.

Você também tinha uma gravadora e um restaurante? O que aconteceu com isso?

Bem, o selo ... no momento não desejo trabalhar com nenhum artista. E eu vendi o restaurante há vários anos. Mas tentarei abrir um novo local.

Um restaurante, um bar, um clube ...?

Um restaurante, um bar, um lugar para servir a comida. O importante é que as pessoas tenham bons momentos por lá.

De onde você tira sua inspiração quando você está discotecando?

Eu tento tocar um tipo de história, talvez, ou algo que poderia inspirar Depeche Mode música que tem a ver com a banda. E como você sabe, nós tocamos estilos diferentes e é isso que eu tento expressar na música que toco como DJ.

O que faz um dia típico na sua vida?

Por agora, tenho a prática como um DJ. Mas às vezes eu apenas vou a um pub e tento relaxar.

Mas você diz que ser DJ é um hobby, de modo que deve ser relaxante?

Sim, mas às vezes é frustrante. Mas sim, na maioria das vezes eu pego boas vibrações.

Voltando ao Depeche Mode, qual foi seu show preferido com o grupo ou as suas melhores memórias com eles?

Há muitas memórias, estamos com sorte, depois de 30 anos que ainda somos muito populares. É um sonho realizado. Nós começamos muito jovens, éramos adolescentes. O início foi uma experiência fantástica. Ver as nossas músicas no topo das paradas, a nossa música a ser tocada no rádio, a primeira vez que fui para os Estados Unidos, e muitas boas lembranças de lugares ao redor do mundo em que nós tocamos em Paris, Nova York ... Temos tido uma carreira incrível.

Finalmente, diga algumas palavras do Andy Fletcher, do Depeche Mode para os fãs romenos?

Oi, eu sou Andy Fletcher do Depeche Mode, enviando um grande Olá para os fãs romenos. Estou ansioso para vê-los. Obrigado e estamos ansiosos para sair em turnê para a Roménia. Vejo vocês em Bucareste!


Fonte: Depeche Mode México

Enjoy The Silence - Nada Surf



Fonte: Modefan

Emocionante!

KUSF São Francisco, Estação de Rádio da Faculdade que Divulgou Depeche Mode. Fora do Ar


A estação pioneira da Universidade de São Francisco a rádio KUSF, um dos estabelecimentos piorneiro a tocar punk rock e cuja DJs são creditados com a divulgação de bandas como Depeche Mode nos EUA - foi retirado do ar abruptamente esta semana após a escola ter vendido a frequência a uma estação de música clássica.

Segundo o San Francisco Chronicle, USF fechou a estação, sem aviso prévio, às 10 horas terça-feira como parte de um acordo de 3,75 milhões dólares para transferir 90,3 KUSF que transmitia desde 1977 - para uma estação de música clássica de propriedade da Universidade do Sul Califórnia. O acordo ainda precisa da aprovação da FCC.

A universidade pretende manter ativa KUSF como uma estação somente online, mas vai limitar o envolvimento de estudantes.
USF Presidente Stephen Privett disse em sua Crônica "Nossa principal missão é para os nossos alunos, não é para a comunidade em geral."

Em um post lamentando a perda da freqüencia da KUSF antiga estação do DJ Howie Klein - que viria a trabalhar na gravadora Sire Records e serviu como presidente da Warner Bros / Reprise Records 1989-2001 - escreve:

"Na semana passada eu estava conversando com o escritor britânico Simon Spence, que está trabalhando em um livro sobre Depeche Mode, sobre o papel KUSF - uma estação de baixa freqüencia, colegial e não comercial - para a divulgação da banda na América. Nós poderíamos ter falado facilmente falando REM ou U2 ou uma dúzia de outras bandas que passou a atingir o status multiplatinado cujos primeiros registros não estão em rádios naturais, e sim com um pequeno punhado de aventureiros, com estações de faculdade como a KUSF ".

Esforços estão em andamento para tentar salvar a estação, com um KUSF Salve! mais uma página no Facebook. Há também uma petição, bem como planos de comício em São Francisco na reunião do Conselho de Supervisão na terça-feira.

Fonte: stumbleupon.com

Black Eyed Peas anuncia Depeche Mode remake Just Can't Get Enough como próximo single


A banda Balck Eyed Peas anunciou que seu próximo single será um remake de Just Can't Get Enough, tem quem goste e quem desteste remixes, remakes e covers, eu sou um cara que gosto de ouvir de tudo, e depois tiro minhas conclusões, das independente de gostar ou não gosto de ver como os outros artistas veêm deterniadas musicas, vale o registro da influência que o Depeche Mode causa nos diversos artistas e estilos musicais o que só reafirma o que já sabemos que o Depeche Mode é o melhor:

Crédito: @Aranho


Poloneses - Very Much Devoted

Há quase um ano fiz um post com um vídeo de Just Can't Get Enough feito por fãs poloneses do Depeche Mode onde eles fizeram um vídeo sem plano sequencia sem cortes, com diversos momentos que lembram clipes da banda ao longo de seus 30 anos, em comemoração dos mesmos 30 anos de carreira do Depeche Mode um trabalho fantástico que merece aplausos de pé:





Pois bem, o amigo @Pablitomode postou em seu Twitter o Making of deste clipe que é fantástico!

Crédito: @Pablitomode


Jezebel ( Não Oficial )


Crédito:@modeinmyeyes

The Saturdays - Just Can't Get Enough



Crédito: Forum-dm

Entrevista com Thomas BleskinMitte

Entrevista cedida ao Depechemde.de o autor Thomas Bleskin que lançou The Story Audio Depeche Mode:


Thomas BleskinMitte lança em Março o primeiro Audio Story dedicado ao Depeche Mode um CD duplo (pré-encomenda na Amazon). Autor de "Depeche Mode, The Story Audio" é o jornalista Thomas Bleskin, que já lançou um livro aclamado pela crítica, um Audio Story sobre os Beatles. Sua história sobre o Depeche Mode tem muita atenção aos detalhes.

Em 18 de Março pela primeira vez um Audio Story sobre o Depeche Mode. O que você tem que pode nos dizer sobre?

Thomas Bleskin: Uma Audio Story é uma característica biográfica que conta a história direta de uma banda, um artista ou um evento. O ouvinte recebe a matéria completa - compacta, emocionante, com muitos sons originais, músicas e letras traduzidas. O objetivo era: Se eu ouvi-se a história de áudio, eu realmente saberia todos os fundamentos do Depeche Mode. Neste caso, inclui os CDs de áudio duplos, totalmente utilizados, como era de esperar, é muita informação. Para ter uma ideia da quantidade de material nesses CDs para ler uma pagina A4 completa leva apenas dois minutos. O Audio Story tem 138 minutos gravações...

As fontes de onde você obteve o seu material?

Nada é melhor do que um som. Se você ouvir um artista, você pode aprender mais sobre ele do que se você apenas ler a sua biografia. Quando eu li há alguns anos uma entrevista de Vince Clarke, eu realmente entendi por que ele é sempre chamado "pragmático quieto". Desde que ele estava trabalhando com Erasure no "Nightbird" com seus equipamentos analógicos, sintetizadores baseados em software tudo minuciosamente operado. Eu pensei que seria impressionante. O quero no Audio Story sobre a história Depeche Mode, a banda fala por si - quem mais poderia ter respostas mais qualificadas?

Como se encaixa a história do Depeche Mode em um CD duplo, eles não podem contar em detalhes, mas sim definir prioridades. Que aspectos foram particularmente importantes para você?

A Audio Story não é um léxico falado, mas conta uma história e a história de pessoas que fazem música juntos. Então eu sempre quis ter a certeza de que os fatos e histórias que trago, sempre tem algo a ver diretamente com o Depeche Mode. Um exemplo: O desenvolvimento posterior de Vince com Erasure não foi observado, ao menos de que ele não tem nada a ver diretamente com sua saída do Depeche Mode. Até mesmo o material solo de Martin fora mais ou menos deixado de fora, eu ia mencioná-las, é claro, mas mesmo assim eles não tinham influência considerável sobre Depeche Mode em si. Já Dave "Paper Monsters" é diferente: O disco afeta o seu status no grupo - por isso é, naturalmente, de interesse para o Audio Story. Não era uma questão de enumerar todos os fatos, não importa quão pequeno ou individual, mas escolher os momentos interessantes que a música e o desenvolvimento das pessoas são influenciadas pelo Depeche Mode. E há muito!

Existe um capítulo no CD, você está especialmente orgulhoso?

É difícil dizer ... Mas posso dizer-lhe que o capítulo que foi particularmente complicado - foi o momento imediatamente antes e depois de "Songs of Faith and Devotion". Era importante olhar para o lado musical mas observar sentimentos pessoais, especialmente com Dave e Alan, mas também Andy. Eu tinha de reunir quatro linhas da trama que quase foi na direção de uma novela neste caso no Audio Story. O clímax trágico acidente de Dave - e eu estive pensando por um longo tempo, que música do Depeche Mode não pode ser tocada neste momento. Você simplesmente não pode trazer música da banda quando se fala sobre o fato de que o cantor esta em um momento ruim. Isso não se encaixa. Portanto, tivemos uma década de musica com temas diretamente ligados a Dave. Mencionamos um pouco dos tambores ao fundo de "Ultra" ... Enfim, esse capítulo foi um trabalho muito difícil - simplesmente porque ele é tão complexo e ainda trágico.

Falando de música - você tem toda a trilha sonora usada em trilhas instrumentais tocadas uma a uma por quê?

Música melhora o drama - se quer ouvir apenas dois CDs de palavra falada, pelo menos biográfico, não causa impacto. As versões Instrumentais têm a vantagem de que você pode embalar uma voz narrativa, sem os vocais de fundo que distrai o ouvinte. No entanto, tudo deve soar o mais original possível - por exemplo, quando eu falo de "Stripped", e sua introdução, você deve apenas ouvir o barulho do motor do roncando. Como eu não possuo mesmo esses dispositivos analógicos para emular, eu fiz um artista espanhol identificar os focando em sintetizadores analógicos e sampler. O nome dele é José Maria Bará e em meses de trabalho detalhado realmente conseguiu captar o clima das canções. A trilha sonora de José tornou-se fantástica. E no final para Audio Story, se tornou uma faixa bônus por assim dizer, há um dos melhores covers acústicos de canções Depeche Mode que eu já ouvi ...

Quanto tempo você usou desde a concepção à conclusão?

Tudo de tudo - Um ano e meio.

Houve apoio da banda ou da gestão?

Não. Depeche Mode nunca autorizou qualquer material biográfico. Eu posso entender isso também. Mostra aos fãs, é claro, que o Depeche Mode não tem hype necessário. Mas como um fã, que eu também sou, eu estou totalmente apoiando a banda quando se trata da presente decisão.

Você, no passado, fez um Audio Story sobre os Beatles. Existe, apesar de todas as diferenças e semelhanças entre as bandas que você percebeu?

Absolutamente, sim. O que é mais impressionante: Ambas as bandas têm desempenhado em seus primeiros dias, uma quantidade incrível de vida. Ambas as bandas começaram como Teeangerlieblinge musicalmente radicais e mais desenvolvidos que os atuais. Ambas as bandas têm uma revira volta em sua própria forma de fazer a música, porque eles têm novos sons mais perto de um público amplo. Ambos os Beatles e Depeche Mode têm compositores que estão em cada geração em um estágio superior aos outros. Isso faz uma grande diferença para o resto da cena. Durante o início dos anos 60 não havia nada comparável a Lennon / McCartney. Da mesma forma, a área Electro / Synthpop / EBM abordagem nada se igualava ao Depeche Mode, mesmo bandas como And One, apesar de Steve Naghavi ser grande compositor, e Apoptygma Berzerk. Nenhuma tem a massa do Depeche Mode.


Depeche Mode - The Story Audio
Dê um duplo CD, 138 minutos de tempo
Lübbe Audio (Tonpool)
€ 13,90 (Amazon).

Entrevista originial só clicar aqui!


Crédito: Depechemode.de




Final de Março


Boatos começam a surgir entre os fãs que o CD de Remixes do Depeche Mode deve sair no final de março, e contará com edição em 1, 2 ou 3 cds, deverá contar com remixes de Royksopp.. Além dos já mencionados:

Alan Wilder (In Chains e I Want You Now)
Alex Metric (Personal Jesus)
Arcade Fire (música a confirmar)
Bernard Sumner (música a confirmar)
Brandon Flowers (música a confirmar)
Mark Ronson (Personal Jesus)
Yeah Yeah Yeahs! (música a confirmar)
Vince Clarke (Behind The Wheel)
Kidkanevil (Black Celebration)
Arcade Fire
(música a confirmar)

Follow Me

Tour of the Universe



Nouvelle Vague Master & Servant Live Nyhetsmorgon 2009



Crédito: Forum-dm

Box 81-98 Limited Edition



Fonte: Forun-dm.ru

Lançamento de See You


Em 19 de Janeiro de 1982 o Depeche Mode lançava See You!


Começaram os Rumores

Depeche Mode teria fechado shows em SP e em Porto Alegre

O Depeche Mode teria assinado contratos para realizar shows em São Paulo e em Porto Alegre no segundo semestre. Conforme o jornalista Lúcio Ribeiro, apresentações em outras cidades poderão ser anunciadas em breve. Nenhuma data foi divulgada e ainda não há confirmação oficial.

O trio inglês de synth pop havia marcado shows da Tour of the Universe no Rio de Janeiro e em São Paulo em outubro de 2009, mas os espetáculos foram cancelados. A banda alegou mudanças na agenda de shows na Europa e pediu desculpas aos fãs brasileiros.

Em maio do mesmo ano, o Depeche cancelou várias apresentações devido a problemas de saúde do vocalista Dave Gahan, que foi submetido a uma cirurgia para a retirada de um tumor na bexiga.

Bem amigos leitores, eu sou um cara que não credito muito em rumores ainda mais vindo do Lúcio Ribeiro que não é nada fonte confiável por que ja deu várias noticias que nunca se confirmaram, mas o rumor esta lançado. Como diria minha amiga e cumadre Paulinha U2, só acredito depois de estar no site official, aprendi isso com as inumeras desilusões.Tentarei me informar sobre o assunto se souber de algo, coloco aqui.

Fonte: Rádio Itapema

Shouldn't Have Done That (Rare Video Version)



Crédito:@modeinmyeyes

Scala & Kolacny Brothers - Dream On



Crédito: Forum-dm

The Story Audio Depeche Mode

Depeche Mode é o grupo mais bem sucedido no campo da música eletrônica na história. Eles já venderam mais de 100 milhões de discos. Seus shows tem a participação de mais de 30 milhões de pessoas. E eles podem se colocar como uma banda com fãs mais fiéis do mundo. Você já deve saber.
No ano passado, a banda comemorou seus 30 anos. Para o jornalista Thomas Bleskin na ocasião, achou que o Depeche Mode merecia um audiobook para resumir sua história.

(Pré-venda na Amazon) - O resultado foi o CD duplo "The Story Audio Depeche Mode ". Originalmente planejada para Novembro de 2010, mas o audiobook será lançado em 18 Março de 2011.

Demorou um ano e meio desde a idéia até a conclusão do primeiro audiobook que é dedicado ao Depeche Mode.

Fonte: Depechemode.de

Comercial Gucci - Frank Miller's

Especial Depeche Mode - Saturday Night Live

Para quem perdeu o especial do Depeche Mode que rolou hoje as 19hrs na rádio Itapema FM, segue abaixo, enjoy it!




The Making Of A Basildon Supergroup


Quando o jornalista musical Simon Spence era um adolescente nos anos oitenta, ele cuidou de um segredo embaraçoso.

Houve uma banda de Basildon, e eles estavam entre seus favoritos. Mas manteve o fato em segredo. "Não era legal, sequer mencionar o Depeche Mode", diz ele.

Décadas mais tarde, Simon, 39 não tem nenhum escrúpulo em ser um fã do Depeche Mode - ele e dezenas de milhões de outros ao redor do mundo. Ser legal é irrelevante. Você não precisa se preocupar com ser legal, quando você está falando sobre uma das bandas de maior sucesso na história.
Com mais de 100 milhões de discos vendidos, uma das dez bandas mais vendidas de todos os tempos. Outras estatísticas também colocá-los firmemente entre os imortais da música. Seus shows têm atraído mais de 30 milhões de espectadores. Eles são a banda que mais vendeu na história da musica eletrônica.

Simon, agora um repórter experiente NME e autor de livros sobre o cenário musical, se voltou para o Depeche Mode como tema para seu próximo grande projeto.
Há outros livros sobre a banda, mas eles tendem a repetir a superfície da história do Depeche, contando um pouco mais que os fatos básicos da cronológica, e com base na aprovação material das relações públicas.
Simon, ao contrário, esta gradualmente, respondendo, as grandes questões. Ele está colocando os "comos" e os "porquês", ao invés de apenas expor os fatos.
Por que esse determinado som emerge de Essex nos anos setenta? Quais foram as personalidades dos indivíduos envolvidos? Como é que estes indivíduos se fundem para criar uma banda? Como é que eles saem de um lugar distante chamado South Essex para conquistar o mundo?

Seus métodos são exaustivos. Ele conduz entrevistas intensivas com dezenas de pessoas. Eles são os indivíduos de apoio na história do Depeche Mode. Pessoas que estiveram envolvidos diretamente com a banda, mas independente o suficiente para serem objetivos.

Até agora, ele falou com cerca de 45 dessas pessoas. Eles variam de professores e ex-namoradas, a executivos da empresa Seymour Stein.

As únicas pessoas que não vão para grandes coletivas para entrevistar os caras. Dave Gahan, Martin Gore e Andrew Fletcher já registraram a sua versão da história.

"Eu quase senti que eu não preciso falar com eles", diz Simon. "Eu já abordei o tema de outros ângulos, e com uma mente aberta. Esta não é uma biografia oficial. "

Como a pesquisa de Simão continua, um tema comum está começando a surgir. É a importância da cidade sobre a banda. "O Depeche Mode é a história de 70 por cento da história de Basildon", diz Simon.
"Eles estavam crescendo no contexto de uma cidade nova que também foi crescendo. Foi uma influência fundamental. "

Outra presença marcante é o papel da escola que frequentavam em Basildon, e do jeito que foi misturado com revolta adolescente. Os fãs vão reconhecer a influência da religião nas canções tais como Personal Jesus por exemplo.
Há também o povo de Essex, que teve uma influência enorme sobre a banda. Eles esbarraram com esses meninos aparentemente normais Basildon sem perceber que eles estavam tocando uma musica futurista.

Eles eram pessoas como o verdureiro em Basildon de uma estação de trem que empregou Dave Gahan, e colegas em Southend College, onde se qualificou como estilista.
Mais sombrio, havia também os magistrados que lidavam com ele no tribunal de menores após suas incursões em diversos pequenos crimes.

Lá estavam os professores e as escolas Barstable São Nicolau, com a participação de Dave Gahan e Martin Gore.
Não menos importante, havia os primeiros fãs que procuraram os seus shows em pubs e clubes de Essex e deu-lhes uma base local forte.
Seu apoio foi uma volta direita aos dias em que a banda destinada a se tornar Depeche Mode ainda estavam atuando como No Romance in China.

"Eu tenho ficado impressionado com o respeito que um monte de artistas modernos experimentais tem com o início da música Depeche Mode", diz Simon.

"A grande referência sobre o Depeche Mode é que eles conseguiram quase silenciosamente, pela qualidade do seu trabalho."

"Eles nunca foram parte do cenário de Londres. Eles estavam sempre no último trem de volta para Basildon ".

O mistério que ninguém realmente tem sido capaz de responder é: Onde é que tudo vem? Simon credita para a genialidade e três pessoas, Vince Clarke que fez parte da banda no seu inicio.

Vince deixou o Depeche Mode em 1981. "Mas ele deixou seu legado com as experiências com música eletrônica, e encontrou uma maneira de torná-lo
a popular", diz Simon.


Os outros os compositores, Dave e Martin. "É raro encontrar dois compositores geniais, ao mesmo tempo, muito menos criados praticamente na mesma rua, na mesma cidade", diz Simon.

"Uma das imagens que esta frequentemente presente em minha mente vem dos primórdios, quando eles estavam ensaiando em uma sala da frente, em casa, em Basildon."

"Eles não tinham uma platéia ao vivo. Então, eles enfileiravam uma fileira de ursinhos de pelúcia, e tocavam para eles. "

Fonte: ModeFan