ShareThis

DJ Andy - 24/2



Crédito: Knut Dave Schlieker

Remixes 2011

No seu ultimo DJ set dia 17 em Melbourne, Andy Fletcher tocou duas das versões que estarão presentes no album de remixes que o Depeche Mode lançará este ano, as faixas foram Never Let Me Down Again (Eric Prydz Remix) e Behind the Wheel (Vince Clarke):

21.07.1993 Frankfurt



Crédito: Déa Parrila

Strangelove - Gucci



Crédito: Knut Dave Schlieker

Torcedores Celtic




Crédito: Pablitomode

30 Anos do Primeiro Single



Dreaming of Me foi o primeiro single lançado em 20 de fevereiro de 1981.

Existem duas versões dessa música, uma que tem um final e a alternativa, que não tem. A versão que não termina faz parte da remasterização do álbum Speak & Spell, lançado na Europa. Quanto a outra versão, está na edição americana de "Speak & Spell".

É uma música que fala sobre sonhar consigo mesmo, em termos de recordações e compara essa ação a passagem de um filme. Isso pode ser creditado a paixão que Vince Clarke tem por fotografia e equipamentos de filmagem.

Por causa da seu baixo sucesso, não foi incluída no álbum "Speak & Spell" em 1981, mas foi no relançamento do álbum no Reino Unido, como uma faixa bônus. No lançamento americano, Dreaming of Me estava originalmente no álbum, no lugar da música Sometimes I Wish I Was Dead. No relançamento remasterizado mundial, ela foi incluída no final do álbum, com a versão inglesa precedendo-a. Dreaming of Me não foi lançado comercialmente nos Estados Unidos.

O seu lado B, Ice Machine, é bem creditado pela banda; tanto que foi incluída sendo executada ao vivo como lado B novamente, no single Blasphemous Rumours. Vince Clarke compôs ambas.

Lado A: Dreaming of Me
Lado B: Ice Machine
Formato: LP e CD (1991)
Gravado: Dezembro de 1980
Lançamento: 20 Fevereiro 1981
Gênero: Synth Pop
Duração: 3:46 (single version) / 4:03 (no-fade version)
Gravadora: Mute
Compositor: Vince Clarke
Produção e arranjos: Depeche Mode e Daniel Miller

Fonte: Wikipédia

The End Of The Universe



Crédito: Menace

Gênios! Foto Completa

Crédito: Enock Neto

Gênios!

Essa foto é uma das mais raras que já vi, na minha humilde opinião os dois maiores compositores de todos os tempos:


Crédito: Maik Ahrens

Album de Remixes (Atualizando)

O novo álbum de remixes do Depeche Mode vai para as lojas européias em 28 de Março 2011, segundo informação divulgada por um site russo de fãs, que também confirma a edição de uma caixa especial com 6 discos de vinil, conforme já haviamos postado este album deve sair nos seguintes formatos:

Depeche Mode - Remixes ... (1xCD)
Depeche Mode - Remixes... (2xCD)
Depeche Mode - Remixes ... (3xCD)
Depeche Mode - Remixes... (DeLuxe Box Set 6xLP)

Estas novidades dada por fonte próxima da banda, o single fará a promoção do album será ao que tudo indica será Personal Jesus 2011, e deve começar a rodar nas rádios dentro de algumas semanas! Pelo menos nas Européias ou de paises de bom gosto musical, que não é o caso do Brasil (desculpe o desabafo).
Entre os nomes já confirmados que apresentarão seus remixes do Depeche Mode estão:

Alan Wilder (In Chains)
Alex Metric (Personal Jesus)
Arcade Fire (música não divulgada)
Bernard Sumner ex- New Order (música não divulgada)
Brandon Flowers do The Killers (música não divulgada)
Nick Rhodes/Duran Duran e Mark Ronson (Personal Jesus)
Yeah Yeah Yeahs! (música não divulgada)
Vince Clarke (Behind The Wheel)
Kidkanevil (Black Celebration)
Eric Prydz (música não divulgada)
Röyksopp (música não divulgada)
Stuart Price (música não divulgada)
Stargate (música não divulgada)

Além desses remixes mais alguns já foram divulgados:

Dream On (Bushwacka Mix)
Personal Jesus (The Stargate Mix)
Suffer Well (M83 Remix)
Tora! Tora! Tora! (Karlsson & Winnberg Remix)
John The Revelator (UNKLE Remix)
In Chains (Tigerskin Remix)
Peace (SixToes Remix)
Puppets (Royksopp Remix)
Everything Counts (Oliver Huntemann & Stephen Bodzin Mix)
Never Let Me Down Again (Eric Prydz Remix)
A Pain That I'm Used To (Jacques Lu Cont Remix)
I Want It All (Roland M. Dill Remix)
Wrong (Trentemoller Remix)

Esperamos anciosos por este album que promete, afinal nomes de peso estão colocando seu talento a recriar classicos do Depeche Mode.


Andy Tour

Saudades! Depeche Mode Please!

Fonte: Brazilian Devotees, Recoilians and friends

Dave Gahan - Solo 2003

Album de Remixes Lançamento em 28/03

O novo álbum de remixes do Depeche Mode vai para as lojas européias em 28 de Março 2011, segundo informação divulgada por um site russo de fãs, que também confirma a edição de uma caixa especial com 6 discos de vinil, conforme já haviamos postado este album deve sair nos seguintes formatos:

Depeche Mode - Remixes ... (1xCD)
Depeche Mode - Remixes... (2xCD)
Depeche Mode - Remixes ... (3xCD)
Depeche Mode - Remixes... (DeLuxe Box Set 6xLP)

Estas novidades dada por fonte próxima da banda, o single fará a promoção do album será ao que tudo indica será Personal Jesus 2011, e deve começar a rodar nas rádios dentro de algumas semanas! Pelo menos nas Européias ou de paises de bom gosto musical, que não é o caso do Brasil (desculpe o desabafo).
Entre os nomes já confirmados que apresentarão seus remixes do Depeche Mode estão:

Alan Wilder (In Chains)
Alex Metric (Personal Jesus)
Arcade Fire (música não divulgada)
Bernard Sumner ex- New Order (música não divulgada)
Brandon Flowers do The Killers (música não divulgada)
Nick Rhodes/Duran Duran e Mark Ronson (Personal Jesus)
Yeah Yeah Yeahs! (música não divulgada)
Vince Clarke (Behind The Wheel)
Kidkanevil (Black Celebration)
Eric Prydz (música não divulgada)
Röyksopp (música não divulgada)
Stuart Price (música não divulgada)
Stargate (música não divulgada)

Esperamos anciosos por este album que promete, afinal nomes de peso estão colocando seu talento a recriar classicos do Depeche Mode.

Dj Andy - Cristal Hall






Peace - Live Frankfurt Commerzbank Arena 12.06.2009

Andy Fletcher - Entrevista na Austrália

Por Tomas

Andrew Fletcher está prestes a desembarcar na Austrália para o festival Weekender. Entrevistamos Andy em sua Tour solo como DJ o programador de sintetizador do Depeche Mode.

Hey, Andy, como tem passado?

Olá, muito bem. Nós terminamos a turnê no ano passado, tive um pouco de tempo livre. Estamos de férias agora.

Parece ótimo. Com tudo o que vocês realizaram, vocês ainda conseguem fazer tours, tocar ao vivo e fazer albuns produtivos. Há algum segredo em ficar juntos por muito tempo?

Eu acho que nós percebemos o que temos conseguido, você sabe, e eu acho que é uma coisa importante a realizar. Temos trabalhado duro e tivemos um pouco de sorte pelo caminho. Nós viemos da mesma cidade, temos os mesmos amigos, mesmo senso de humor, então eu acho que ajuda.

Antes de Depeche Mode se formar, você e os colegas Vince Clarke e Martin Gore tocavam juntos em bandas. Que tipo de música e que você foi influenciado, e como?

Tivemos muita sorte na vida. Quando eu tinha 16 anos, punk aconteceu. Foi, obviamente, a idade perfeita para experimentar. Depois disso foi Siouxsie & the Banshees, The Cure, Kraftwerk virou moda, no início do Human League, OMD no começo. Foi um tempo muito, muito excitante para a música. A idéia era de fazer música. E para fazer boa música você só precisava de boas idéias.

Você acha que a música que você tocou influênciou ou ajudou a se traduzir facilmente em Depeche mode?

Sim, eu acho que sim. Foi um curto período de tempo em retrospecto. Vince escreveu a maioria das coisas no começo. Depois de Vince, Martin assumiu e realmente entrou com seu próprio modo de escrever. Eu quero dizer o primeiro álbum com Vince escrevendo me soa estranho um pouco em comparação com o resto. Na época nós éramos uma banda pop e não se envergonhavamos de ser uma banda pop. E nós conseguimos formar uma banda de pop para uma banda de rock ou uma banda normal, você sabe. Foi uma sorte que nós tivemos que nos rodeou, que nos permitiu fazer isso.

Tem muita coisa mudou desde então comparado com hoje?

Eu acho que sim, mas acho que um dos problemas com um monte de artistas é que eles se transformam em estrelas durante a noite muito rápido, com muita mídia. Considerando que tivemos de realmente ir de maneira tradicional fazendo uma fita demo, e espalhando ela nas casas de show e em shows que faziamos, tentando obter qualquer show para tocarmos. E foi um algo gradual para nós, você sabe. Nós temos a sorte, começamos na Inglaterra em primeiro. E então alguns anos mais tarde começamos a tocar na Europa e, em seguida, poucos anos depois que começamos a conquistar os Estados Unidos. Mas nos dias de hoje você é uma estrela de imediato, não é? Mas eu acho que foi bom, porque conseguimos ganhar experiência à medida que avançávamos. Nós não estávamos apenas completamente preocupados em ser o centro das atenções.

Quer dizer, olhar para alguns dos artistas mais jovens, hoje, eles tem apenas dezesseis ou dezessete anos de idade.
E eles são grandes, na Austrália, nos Estados Unidos, Europa e Grã-Bretanha, ao mesmo tempo!
É surpreendente que, após dezenas de singles e álbuns número 1, que você ainda está em uma das bandas de maior sucesso na história eletrônica.

A nossa carreira tem sido fenomenal e quando começamos realmente pensei que iria durar um par de singles e depois que tudo iria terminar. Passamos por isso e realmente construímos a nossa carreira na forma tradicional de tocar e excursionar em lugares pequenos, para lugares maiores para lugares ainda maiores. Estes artistas são estrelas de dia para noite, não são? Para nós foi uma coisa gradual para espalhar a nossa música por todo o mundo.

Por que é que o seu papel dentro da banda parece ter sido um tópico de confusão entre fãs, e pela mídia?

Bem, eu acho que é muito difícil com um grupo de eletrônicos. Você sabe, é muito fácil quando você olha para uma linha tradicional guitarra banda. Quando você vê o baterista baixista e dois guitarristas. Estamos diferente. A forma de fazer música é completamente diferente. Mas eu vejo o meu papel como realmente de centragem de toda a banda juntos. Nunca tivemos um empresário assim e eu assumi cuidar disso. E também percebo que estou cercado por pessoas como Dave Gahan, que é um front man fantástico e um grande compositor. Eu não escrevo músicas e eu não sou um front man. Mas você tem que ter a dedicação das pessoas no fundo para fazer o trabalho de grupo.

Conte-me sobre Toast Hawaii.

Eu criei realmente para uma banda que eu tinha chamado de Cliente e que foi muito divertido. Fizemos tudo bem, na verdade. Tivemos um pouco de sequência, vendeu muito bem. Mas eu estive trabalhando, fazendo álbuns e fazendo turnês com Depeche Mode. Então, toda vez que tenho algum tempo eu ouço algumas coisas novas, eu só não encontrei uma banda que eu quero trabalhar com a Toast. Também é muito difícil porque eu tenho a dizer-lhes: 'Bye bye, estou indo embora por dois anos.' Ainda é um rótulo, e estou sempre a olhar para os artistas, mas o tempo tem de estar certo, infelizmente.

Além das turnês do Depeche Mode e da gestão, você tem sido conhecido por tocar como DJ também. Quão diferente é tocar em shows ao vivo com o Depeche Mode a estar atrás da cabine do DJ em um clube?

Bem. É muito bom para mim, porque sou uma espécie de celebridade DJ. Eu admito que não sou tão bom quanto os profissionais, você sabe, o Paul Van Dyks e todos esses caras incríveis. Mas eu toco e mixo músicas e eu tento divertir um pouco. Eu estive tocando algo novo, Depeche Mode remixes que vão ficar para o álbum de remixes novo, de modo que deve adicionar um elemento de interesse para os fãs.

Você tem alguma música favorita que você gosta de tocar?

Eu não sei. Eu não tenho DJ em um par de anos e acabei trocado meu set inteiro, não tenho favorito. Eu não quero dar o meu favorito em uma entrevista e decidir não tocar [risos].

Qual a chance que vamos vê-los na Austrália em breve?
Sim, tem sido um triste o cenário de relação ao Depeche Mode e Austrália. Estávamos pensando que poderíamos fazer isso na última turnê, mas Dave teve alguns problemas, então nós vamos ter que dizer: espero que possamos fazê-lo na próxima turnê. Vamos tentar o nosso melhor. Tivemos bom tempos quando estivemos lá no passado.

PS: Pessoal aproveito para pedir desculpas pelas traduções meu inglês é muito básico e os tradutores on-line nem sempre são fieis, mas tento o melhor possivel.

Crédito: Modefan.com