ShareThis

1001 Discos Para Ouvir Antes de Morrer - Violator


Selo: Mute
Produção: Flood
Projeto Gráfico: Anton Corbijn
Duração: 46:59 min

Em março de 1990, o Depeche Mode lançou um novo álbum no que eles presumiram que seria um evento discreto na Warehouse Records, em Los Angeles. Em vez disso cinco fãs foram hospitalizados, quando segundo dados da policia trinta mil fãs apareceram. Não é de se espantar que a turnê seguinte da banda tenha sido chamada de World Violation.
Estranhamente o álbum que lhes garantiu o superestrelato era muito mais introspectivo que seu predecessor explosivo, Music for the Masses. Apenas Personal Jesus baseado em um groove do musico Gary Gliter parecia adequada para tocar em estádios. As outras faixas são as mais atraentes que Martin Gore ja compôs, desde a tonalidade tecno de World in my Eyes, passando pela delicada Waiting for the Night até a sombria Clean (uma descendente afastada de One of These Days, do Pink Floyd). O tempo para trabalhar que Gore tinha conseguido ao lançar, em 1989 um EP de covers chamado Counterfield tinha trazido recompensas. O resultado foram quatro enormes sucessos dos quais Enjoy the Silence teve a maior repercussão internacional.
Sofisticado mas sentimental, Violator eliminou a auto-indulgência das estranhezas de Black Celebration e Music for the Masses. Os temas instrumentais não citados na lista de musicas, Crucified logo após Enjoy the Silence e Interlude N°3, logo após Blue Dress são instigantes e encantadores.
Maravilhosamente produzido por Flood que também trabalhou com Nine Inch Nails e Smashing Pumpkins o disco é tão coeso que muitos custaram a acreditar que era mesmo Martin Gore e não David Gahan que cantava em Sweetest Perfection e Blue Dress. Parte do crédito quanto a qualidade irrepreensível do disco não pode ser atribuída aos excelentes arranjos do tecladista Alan Wilder. Violator mostra o grupo no auge de seu sucesso e continua a soar estupendo atualmente.

"Tenho uma lista dos 10 tópicos mais importantes... relações, dominação, luxúria, amor, bem, mal, incesto, pecado, religião imoralidade." Martin Gore, 1990

Fonte: Livro 1001 Discos Para Ouvir Antes de Morrer


1001 Discos Para Ouvir Antes de Morrer - Music for the Masses


Selo: Mute
Produção: David Bascombe
Projeto Gráfico: Town and Country Planning
Duração: 44:32 min

Os criadores do synth-pop para tolos tornaram-se capazes de sacudir o concreto dos estádios! Muros caem e Marilyn Manson nasce! E não deixemos de mencionar que eles inventaram a House Music.
Tudo bem... isso não é totalmente verdadeiro, mas foi com este álbum que o Depeche Mode se despediu de um eletropop  embrionário e abraçou o som que viria a inspirar tantos góticos quanto os pioneiros da musica Dance. O álbum anterior Black Celebration, chegou bem perto, mas a produção hesitante fez com que os momentos dramáticos soassem um pouco  ridículos. Por outro lado Music for the Masses cola você contra a parede assim que Never Let Me Down Again é projetada nos alto falantes.
A fúria do álbum nunca perde a intensiadade, mas o ritmo varia um pouco, da alegre e ritmada The Things You Said para a introspectiva Little 15 e também, já evidenciando as seqüencias incessantes que iriam alimentar o House Music, a lasciva Behind the Wheel. A musica extra que seria inserida no CD, Pleasure Little Treasure, vai  mais além, partindo de um estilo dance para uma antevisão do que se tornaria mais tarde o glam rock Personal Jesus, cooptado por Marilyn Manson. Completando essa sucessão de contrastes temos a vigorosa e irriquieta Nothing e Pimpf, que termina com Mission Impossible não listada nos créditos.
Na Inglaterra a banda continuou a ser classificada como uma estrela peculiar do pop. No restante da Europa e nos EUA, contudo, deixaram de ser uma banda Pettry Pink (bonitinhos de rosa - as palavras são de Neil Tennant dos Pet Shop Boys) para se converter em verdadeiros heróis (de onde surgiu o clossal disco ao vivo, 101) algo que eles não haviam previsto, apesar do titulo do álbum e da mensagem em seu encarte - Divulgamos as notícias em todo o mundo.

"Os americanos, mais do que qualquer outro povo, tiveram que aguentar 10 anos de reedições do Toto... nós aparecemos no momento certo." Martin Gore, 1990.

Fonte: Livro 1001 Discos Para Ouvir Antes de Morrer


David Gahan - Miracles



Crédito: Natascia Sasiadek

The Best of Short Film


Crédito: Ana Beatriz Soares DM
Fonte: VH1 Brasil

Feliz Natal e um Prospero Ano Novo

Composition of Sound / Depeche Mode - Photographic - Demo


Vinil Spock

Segunda feira, 19/12 o vinil Spock já estará a venda na Amazon:

Vinyl (19 Dec 2011)
Number of Discs: 1
Format: EP, Maxi
Label: Mute
ASIN: B006BKGP1Q




Everthing Counts - 1983 German TV Cologne WWF


Annual Holiday Sound Check - Fotos

No dia 3/12 Martin Gore tocou como DJ em Santa Barbara, veja as fotos postadas na pagina oficial do Martin no Facebook:










Notem que Martin esta usando uma camisa do PIL, Public Image Ltd, banda de John Lydon ( ex-Johnny Rotten ) que era dos Sex Pistols e formou o PIL juntamente com o guitarrista Keith Levenne ( The Clash ), o baixista Jah Wooble e o baterista David Crowe. Em 1978 lançaram o compacto "Public Image" e logo depois o LP também chamado de Public Image.

David e Jennifer em New York

David Gahan e sua esposa Jennifer vão ao cinema em New York em 5/12.



Crédito: Marcio Soares

VCMG - Spock (Pitchfork Exclusive)

VCMG - Spock [Pitchfork Exclusive] by Mute UK