ShareThis

Happy Birthday Johnny Cash


Co-Fundadores do Depeche Mode - VCMG


VCMG, o novo projeto por pioneiros synthpop Vince Clarke e Martin Gore, marca a primeira vez que os dois músicos têm trabalhado juntos desde que ambos eram membros do Depeche Mode no início dos anos oitenta. Gore continuou com Depeche Mode, enquanto Clarke teve sucesso com o Yazoo e Erasure. 
Ssss, a estréia da dupla, é um corajoso, registro techno instrumental que é claramente formado por recentes tendências na música eletrônica ainda consistente com as respectivas influências dos dois músicos. A Rolling Stone encontrou-se com Martin Gore, para conversar como ele reencontrou-se com Clarke, após três décadas de distância, e sobre o novo álbum de estudio do  Depeche Mode.

Como é que você trabalhar novamente com Vince Clarke? Faz cerca de três décadas desde que vocês gravaram Speak & Spell.
Foi realmente um choque quando eu encontrei um e-mail de Vince, um dia, porque não temos o hábito de enviar e-mails um para o outro. Quer dizer, eu nunca recebi um e-mail de Vince. Mas eu tenho um, e ele simplesmente disse muito simplesmente: "Estou pensando em fazer um álbum de techno. Você está interessado em colaborar? Não existem prazos ou pressões. O que você acha?" E que era basicamente o e-mail. E ele veio em um momento muito bom, porque eu estava em um tempo de inatividade do Depeche. Então, eu achei que com ele poderia ser divertido. Parecia uma coisa boa para experimentar.

Qual foi o seu relacionamento com Vince desde que tocaram juntos no Depeche Mode?
Hum, não foi bom ou ruim, realmente. Tem sido mais inexistente. [Risos] Nós, obviamente nos não nos viamos muito, muito ocasionalmente, desde que ele deixou a banda em 1981. Realmente, eu posso contar o número de vezes em duas mãos - é provavelmente inferior a 10 - o número de vezes que nos vimos nesses 30 anos.

Como foi reconectar como músicos?
Foi muito bom. Você sabe, eu realmente apreciei todas as coisas que Vince estava fazendo com as faixas. E eu acho que musicalmente, ele estava chegando a um resultado muito, muito criativo. Porque nós não trabalhamos juntos, ou sequer nós conversavamos frequentemente, nos últimos 30 anos, acho que o caminho que escolhemos para fazer o álbum foi perfeito, porque nós fizemos a coisa toda por e-mail e com compartilhamento de arquivos. Nós acabamos com inserindo as nossas próprias idéias em nosso próprio estúdio e enviados arquivos pra lá e para cá. Apenas começamos a nós falar realmente,  mesmo ao telefone, quando o projeto ja estava quase que todo terminado. Então nós tivemos uma conferência com Daniel de Mute e meu empresário e o empresário do Vince. E nós tivemos que discutir as coisas, como, "O que nós vamos nos chamar?" "Temos todas as idéias para um título do álbum ou arte?" Coisas assim.

Você estava na mesma altura em termos de influências techno para este projeto?
Nós realmente não conversamos muito sobre isso. Como Vince veio com a idéia, ele começou enviando-me duas faixas, e elas foram o embrião de tudo. E as ouvi, e se havia algo que eu não gostasse, eu iria tirar e adicionar coisas que eu gostasse e ira fazer isso até considerar pronto. Então eu enviava para Vince e ele faria o mesmo, talvez tirar algumas coisas, acrescentar algumas coisas extras, enviá-la de volta para mim. E isso continuou até que chegamos a cerca de quatro ou cinco versões, onde ambos estávamos felizes e sentimos que elas estavam prontas para ser mixadas. E ninguém foi pressionado, e não houve conflito real na confecção do álbum. Foi tudo muito tranquilo de criar.

Foi uma decisão comum de que não haveria vozes no disco?
Sim. Eu acho que teria sido completamente errado, porque, você sabe, eu não acho que nós estávamos dispostos a sentar e escrever um álbum inteiro com letras. E depois de ter, tipo, duas faixas sem vozes ou qualquer outra coisa, eu acho que teria apenas diluído e deixado a coisa toda confusa.

Não pensaram em colocar um vocal de um dos cantores das bandas principais?
Sim, mas eu acho que vai contra o espírito da música techno, realmente. E o fato de que, você sabe, é engraçado. Sempre que há um vocal no techno, é geralmente um vocal que é um pouco cômico. Acho que só queria evitar tudo isso.

No que mais você está trabalhando recentemente? Existe um álbum novo álbum do Depeche Mode?
Terminamos este projecto em Maio passado ou algo assim. Desde então, tenho trabalhando em escrever músicas para o Depeche. E estamos prestes a começar um projeto totalmente novo. Estamos programados para entrar em   estúdio no final de março, na esperança de ter um álbum concluído até o final do ano, provavelmente, e iniciando uma turnê no ano de 2013 todo.

Eu acho que é muito cedo, realmente, para falar sobre álbum porque todo mundo está muito feliz com o som das demos, que é bastante tranquilizador e um pouco novo. Nós sentimos que temos por onde começar neste álbum antes mesmo de entrarmos no estúdio. 

Nota do bogueiro: Amigos peço desculpas por alguns ajustes na tradução, meu inglês é péssimo.  

Crédito: Rolling Stone - MATTHEW PERPETUA

Clip VCMG - Single Blip



Nota: Não oficial.

Depeche Mode Entra em Estúdio no Fim de Março



O Depeche Mode vai entrar em estúdio no final do mês de Março para começar as gravações do seu 13º disco de inéditas.
Em entrevista ao site The Quietus, Martin Gore revelou que a banda inglesa, espera ter o novo álbum pronto até ao final do ano.
O mais recente disco de estúdio dos Depeche Mode, «Sound of the Universe», foi lançado em 2009.

Entretanto, o guitarrista e compositor do Depeche Mode prepara-se para lançar o álbum de estreia do projecto VCMG em colaboração com Vince Clark. Martin Gore disse ao TheQuietus.com que trabalhar com o antigo teclista e companheiro do inicio do Depeche Mode rejuvenesceu a sua criatividade.

"Acho que voltei a escrever para o Depeche Mode com um vigor maior depois de ter colaborado com Vince Clark, porque fiz uma pausa no que estava habituado a fazer. Deu-me realmente um grande ímpeto criativo", afirmou o músico.

«SSSS» é o nome do disco do projecto VCMG e chega às lojas a 12 de Março.

Fonte: TVi24

Mika - Just Can't Get Enough (live Parc des Princes)



Crédito: @duransky_ULTRA

VCMG - Bendy Bass

Synth Britannia da BBC


“Synth Britannia”, nome do documentário, mostra artistas como os Cabaret Voltaire, The Human League e Throbbing Gristle foram inspirados por Kraftwerk e JG Ballard "to dream of the sound of the future against the backdrop of bleak, high-rise Britain."
No documentário aparece Gary Numan no Top Of The Pops de 1979, e bandas como Depeche Mode, Ultravox e Soft Cell.
Para o documentário contribuíram nomes como Philip Oakey, Vince Clarke, Martin Gore, Bernard Sumner, Gary Numan e Neil Tennant. 
Sem duvida um excelente documentário sobre esta cena eletrônica surgida no final de 1970 incio dos 80's, vejam ele completo:

Clash Magazine - VCMG

Crédito: Depeche Mode Ec.

Everything in Counts - Live - 23 Anos



A versão ao vivo de Everything Counts foi gravada no último show da Music for the Masses Tour em 1988, e foi o single escolhido para promover o lançamento do álbum ao vivo 101, o concerto estádio Rose Bowl em Pasadena na Califórnia. O single foi editado em todo o mundo a 13 de Fevereiro de 1989, nos formatos CD-single, Vinil 12", e foi também o primeiro single da banda editado em vinil de 10"polegadas, o Depeche Mode é uma das poucas banda que continua lançando álbuns e singles em vinil até hoje, mas esta rara edição especial numerada e que incluia um adesivo para janela e dois postais promocionais. No single ainda há além da versão ao vivo, as várias edições de Everything in Counts incluia remixes de Daniel Miller, Alan Moulder, Justin Strauss, Mark Saunders e Tim Simenon, este ultimo o Bomb the Bass em pessoa que em 1997 produziu o álbum Ultra.



Fonte: Depeche Mode Fan Club Portugal

Boatos - Ben Hiller - Produtor Novo Álbum


Parece Ben Hillier poderá voltar a produzir o Depeche Mode novamente. Hot Press fez um artigo sobre o produtor Ben Hillier e no final do artigo ele diz: "Bem estou prestes a ir para os EUA para trabalhar no terceiro álbum com o Depeche Mode em 2012, vou trabalhar com a colaboração de Martin Gore , Dave Gahan e Andrew Fletcher". A noticia não é confirmada oficialmente mas Ben ja trabalho com o Depeche Mode em Playing the Angel e Sounds of the Universe. Para ler o artigo Hotpress, clique aqui!

Barrel of a Gun - Live

A faixa foi executada ao vivo na apresentação do álbum ULTRA a 15 anos atrás no dia 3/2/1997:

Crédito: DM Fan Club Portugal

Martin aos 11 Anos


A nossa musa do Yazoo, Alison Moyet publicou uma relíquia em seu Twitter, uma foto onde em uma excurssão de colégio para Keswick, onde aparece ela pela metade vestindo azul, e Martin Gore ao centro:



Perguntei a ela se ela e  Martin estudaram na mesma classe? Vince também?


Ela respondeu que estudou com Martin e Andy, nas classes de Inglês, Matemática e alemão. Vince foi para uma escola diferente.


Comentei que juventude genial que a escola havia formado, com ícones da musica, um passado para se orgulhar a agradeci pela resposta.


Para que quiser seguir a Alison o seu twitter é @AlisonMoyet1. Seu website oficial é http://alisonmoyet.com/
Para quem quiser me seguir o meu twitter é @Luis_DM.

Note: Alison Moyet, sorry could not resist and published.