ShareThis

Violator - 23 Anos de Muito Tecnopop


Selo: Mute
Produção: Flood
Projeto Gráfico: Anton Corbijn
Duração: 46:59 min

Em março 19 de 1990, o Depeche Mode lançou um novo álbum no que eles presumiram que seria um evento discreto na Warehouse Records, em Los Angeles. Em vez disso cinco fãs foram hospitalizados, quando segundo dados da policia trinta mil fãs apareceram. Não é de se espantar que a turnê seguinte da banda tenha sido chamada de World Violation.

Estranhamente o álbum que lhes garantiu o super estrelato era muito mais introspectivo que seu predecessor explosivo, Music for the Masses. Apenas Personal Jesus baseado em um groove do musico Gary Gliter parecia adequada para tocar em estádios. As outras faixas são as mais atraentes que Martin Gore ja compôs, desde a tonalidade tecno de World in my Eyes, passando pela delicada Waiting for the Night até a sombria Clean (uma descendente afastada de One of These Days, do Pink Floyd). O tempo para trabalhar que Gore tinha conseguido ao lançar, em 1989 um EP de covers chamado Counterfield tinha trazido recompensas. O resultado foram quatro enormes sucessos dos quais Enjoy the Silence teve a maior repercussão internacional.
Sofisticado mas sentimental, Violator eliminou a auto-indulgência das estranhezas de Black Celebration e Music for the Masses. Os temas instrumentais não citados na lista de musicas, Crucified logo após Enjoy the Silence e Interlude N°3, logo após Blue Dress são instigantes e encantadores.
Maravilhosamente produzido por Flood que também trabalhou com Nine Inch Nails, U2 e Smashing Pumpkins o disco é tão coeso que muitos custaram a acreditar que era mesmo Martin Gore e não David Gahan que cantava em Sweetest Perfection e Blue Dress. Parte do crédito quanto a qualidade irrepreensível do disco não pode ser atribuída aos excelentes arranjos do tecladista Alan Wilder. Violator mostra o grupo no auge de seu sucesso e continua a soar estupendo atualmente.

"Tenho uma lista dos 10 tópicos mais importantes... relações, dominação, luxúria, amor, bem, mal, incesto, pecado, religião imoralidade." Martin Gore, 1990

Violator considerado por fãs e critica a obra prima do Depeche Mode, um marco na história da musica eletrônica, um álbum, que dispensa qualquer comentário no que se refere a sua qualidade musical, os mestres da sofisticação eletrônica elevados a status de DEUS!
Esse disco é lembrado como a obra-prima da banda, um dos mais importantes da música eletrônica e um dos melhores da história, com uma variedade de músicas muito bem aproveitada, arranjos diferentes e inspirados com uma composição sólida de ambas letras e harmonia.
O álbum foi a maior de todas as transformações sonoras da banda, abandonando o Synth Pop e samplers dos anos 80 e se dedicando a sintetizadores analógicos em prol de uma espécie de "Rock eletrônico dançante", que posteriormente seria chamado de Synth Rock. Entrementes, é um dos mais influentes álbuns do Depeche Mode, inspirando bandas como Pet Shop Boys e Smashing Pumpkins.
Nunca um álbum de música eletrônica havia causado tanto frísson e alcançado tamanha popularidade assim desde Music For The Masses (também do DM) e Power, Corruption and Lies do New Order. Todos os seus singles fizeram um enorme sucesso e se tornaram clássicos instantâneos do grupo. É um álbum chave na história da música eletrônica, já que no mesmo ano a "Dance music" explodiria no mundo todo, com Depeche Mode quase pastoreando o fenômeno.
A música Personal Jesus virou uma mania no mundo todo e é constantemente colocada entre as melhores de todos os tempos, como um importante single, best-seller e uma faixa de ótima qualidade. Tem uma batida country, energia contagiante e fortíssima composição.
O Mega-Hit do álbum, na verdade, é Enjoy The Silence, uma das mais populares músicas (senão a mais popular) do Depeche Mode e colocada como uma das rainhas da Música Eletrônica, ao lado de Bizarre Love Triangle do New Order, Robots do Kraftwerk e West End Girls, dos Pet Shop Boys. Com sua bela melodia e emoção, entrou pro Top 10 na Billboard US Hot 100 e liderou rádios alternativas por três semanas consecutivas.
Policy Of Truth, uma das mais dançantes, elogiadas, preferidas da banda e bem vendidas do álbum também fez um sucesso enorme nas rádios alternativas e pistas de dança, quase liderando ambas simultâneamente. Entrou pro Top 20 na US Hot 100 e liderou rádios alternativas por uma semana.
World In My Eyes também é lembrada com carinho por fãs e integrantes, por causa da sua batida criativa e letra fácil de entender, com um toque excitante. É claramente uma faixa feita para dançar.

Vendeu 10,7 milhões de cópias de acordo com cálculos atualizados feitos pela gravadora Mute Records (é triplo platina tanto nos E.U.A. quanto no Reino Unido) e recebeu uma versão remasterizada, incluindo DVD com clipes e documentário em 2006.

Fonte: Livro 1001 Discos Para Ouvir Antes de Morrer / Arquivo Pessoal

0 comentários :