ShareThis

Delta Machine - 1 Ano

"Uma banda que não precisa provar mais nada no mundo da música. Mesmo assim, premiou os fãs com um dos melhores álbuns da sua carreira. O Depeche Mode lançou em 2013 o 13º álbum de estúdio: “Delta Machine”. 
O trio mostra todo o vigor que influencia gerações de artistas no mundo todo. O disco traz a obscuridade nas melodias, com a clássica mistura de sintetizadores e guitarras distorcidas.
Esta sonoridade fez o disco ser considerado um dos melhores lançamentos de 2013. A primeira trinca de faixas, “Welcome to My World”, “Angel” e “Heaven” já mostra o que se pode esperar para quem o escuta pela primeira vez : um clima que vai do lírico a arranjos crescentes, de pontos pesados e obscuros a melodias calmas.
“Slow” é a primeira canção que mostra a influência do blues no trabalho como prometido (até o nome "Delta Machine" tem haver com a origem do estilo americano). Outros destaques vão para as “Should Be Higher”, música intensa e até animada tendo um contrapondo com a letra romântica e reflexiva. “Soothe My Soul” é dançante e a mais comercial de todas.
Outras faixas ganham destaque também como “Broken” (composição em conjunto de Gahan) e “The Child Inside” cantada lindamente por Martin Gore. Seguida pela faixa mais eletrônica do álbum e com batidas fortes: “Soft Touch/Raw Nerve”.
Uma crítica feita pelo site Pitchfork Media, especializado em notícias sobre o Sounds of the Universe, dizia após o lançamento do “Sounds of the Universe”: “Ainda não está claro onde o Depeche Mode se encaixa no mundo pop de hoje”.
Porém, “Delta Machine” faz com que o trio synthpop volte ao lugar que sempre lhe coube: uma banda que premia os amantes da música com suas inquietudes e reflexões há três décadas, os garantindo entre os ícones da música pop!"

Texto: Paulo Henrique Moraes Santos

1 comentários :

Ly Gore | 26 de março de 2014 23:45

Ótimo artigo, Luis!